Você reconhece falso dualismo e valores masculinos x valores femininos?

Confluência de esferas da sua vida. Quanto mais a gente não precisar viver uma vida segmentada, e sim poder ser quem somos, falar do que gostamos, demonstrar nossos valores pra qualquer um, melhor é a nossa vida. Estamos praticando não ter vergonha de nos expor, muitas vezes testando a tolerância do outro, mas também exercitando-a, expandindo seus limites.

Nesta semana consegui juntar birdwatching com feminismo. De forma leve neste post, que foi bastante lido porque um dos meus colegas que é bem mais famoso e conectado do que eu compartilhou e recomendou: http://virtude-ag.com/o-que-e-uma-boa-fotografia-de-natureza/, e de forma bem mais declarada aqui: http://virtude-ag.com/qual-a-relacao-entre-3×4-padrao-de-beleza/, que foi escrito no dia seguinte como um desenvolvimento de um dos problemas apresentado. Este com certeza menos gente leu, nem coloquei no Facebook, talvez coloque quando voltar de viagem.

Escolhi não falar no texto “sou feminista”, mas falo de questões feministas. Imposição de padrão de beleza, o viés dos jurados. Digo que nosso julgamento é influenciado por diversos fatores, inclusive se você é homem ou mulher, mas decidi não jogar na cara que um concurso de fotos que só tem homem  no júri nunca será justo com as mulheres, que foi o que aconteceu nos anos do concurso do Avistar. Já vi uma conversa entre fotógrafas mulheres, dizendo que uma mulher nunca tinha ganhado um prêmio. Na verdade eu ganhei em 2009 o segundo lugar na categoria melhor registro, na época em que ainda valia dinheiro, mas não vem ao caso agora, o fato é que se só tem homens no júri, ou principalmente homens, não é nenhuma surpresa que só homens ganhem os prêmios, afinal, os valores femininos e masculinos são diferentes.

Escrevi os textos e não falei “são textos feministas”, porque isso teria feito muita gente ou não ler, ou ler com olhos bem azedos. Mas como não falei que são textos feministas, a maioria das pessoas adorou, elogiou, no mesmo dia 8 pessoas quiseram ser minhas amigas. Dois amigos não gostaram tanto.

 

Não deixe as pessoas te embrulharem com argumentos tortos

Esses textos que andei escrevendo no Virtude falam mal da principal estética de fotografia de aves brasileiras, algo que eu batizei candidamente de 3×4-Sensação. Eu sei. Poderia ter chamado só de 3×4, como a maioria das pessoas fala, e deixaria de irritar muita gente que provavelmente se sentiu pessoalmente ofendida. Cris: “por que você fez isso? Você poderia unir mais gente se fosse menos provocativa”, eu: “Eu já sofri muito na vida”, Cris: “Sofreu????”, “Sofri. Sofro com frequência. Sou obrigada a ler e ouvir muita besteira. Eu preciso me divertir um pouco também”.

Chamar de Sensação tem um lado de molecagem mas também é um teste. Se você não consegue enxergar o quanto temos sido sensacionalistas aplicando esse estilo, com essa luxúria por penas super-definidas, se você se irritou em vez de só sorrir, talvez sua visão esteja um tanto estreita.

Esse meu amigo se incomodou.

Ele me falou que já se incomodou por não ganhar pontos no Wikiaves, mas agora não se incomoda mais, que todo mundo começa com esse estilo de 3×4 e depois evolui o estilo, que as mudanças vão acontecer naturalmente, que não devemos criar antagonismos, que melhor fotografar o 3×4 do que não fotografar nada, ou pior, até mesmo fazer coisas que prejudiquem a natureza, que ele (provavelmente ele quis dizer “diferente de você”) tem cultivado muito a tolerância, e que o mais importante é ajudar o Wikiaves.

Esse cara é muito gente boa e há anos me ajuda em diversos projetos, gosto bastante dele. Mas pra mim é um exemplo do típico birdwatcher homem brasileiro. Essa mentalidade de “não vamos criar conflitos, deixa cada um ser o que quer, as coisas vão acontecer naturalmente” já ouvi de vários. Coincidência ou não, em geral são caras do mainstream. Faz sentido, certo? Se não é problema pra você, quando alguém começa a espernear, a reação natural não é dizer “está tudo bem, não sei por que você está reclamando”?.

Quanto aos argumentos do meu amigo, talvez você não tenha entendido tudo porque não está por dentro do mundo do birdwatching brasileiro, mas provavelmente você intuiu as diversas falácias, especialmente essa de dizer “melhor o 3×4 do que não fotografar nada ou até prejudicar a natureza”, típica estratégia torta de várias discussões. Como se só houvesse essas duas opções e você sempre cria um cenário catastrófico à alternativa que seu oponente está criticando. Seria a mesma lógica de “Os homens estupram mulheres, mas em geral elas têm pelo menos 11 anos. Melhor isso do que estuprar crianças de 5, ou bebês, ou, pior ainda – matar” – pesado, eu sei, e pra deixar claro, meu amigo não tem nenhuma relação com discursos ostensivamente machistas. Escrevi pesado assim pra ficar claro o mecanismo do falso dualismo, se alguém tentar usar contra você, talvez esse exemplo te ajude a identificar por que tem algo estranho na argumentação do outro.

Ah, e o argumento do acontecer naturalmente também é bem ruim e bem errado. A maioria das mudanças grandes e importantes não aconteceram naturalmente: elas foram fruto do trabalho duro, às vezes regado com sangue-suor-lágrimas, de quem queria ver o mundo diferente.  Uma imagem exagerada pro meu caso, mas bem verdadeira pra tantas lutas, e são tantas que eu comecei a citar aqui e apaguei, pra não dispersar demais. Só pra reforçar: é mentira que as mudanças acontecem naturalmente.  As mudanças acontecem porque alguém lutou por elas.

E se você ler os meus textos compridos no Virtude, verá que meu objetivo é exatamente o contrário do que meu amigo falou. Não quero que as pessoas parem de fotografar ou façam mal à natureza: quero que todo mundo possa se apaixonar pela fotografia, não só os que têm dinheiro pra comprar as câmeras caras capazes de produzir os 3×4-Sensação.

 

Diferenças entre valores femininos e masculinos na relação com a fotografia

O outro amigo que não gostou muito do texto comentou o quanto é difícil ser um fotógrafo generalista (acho que foi porque eu sugeri que as pessoas fotografassem diversos temas, não só as aves, dei exemplos de painéis com paisagens e macro). Ele falou que é muito raro ter alguém que arrebenta em fauna, paisagem, macro, que em geral a pessoa só consegue ser boa num campo. O Cris estava passando perto de mim, leu minha tela, e disse que concordava totalmente com ele. Os manos querem fotos pra arrebentar.

Mas sei que eu, e outras minas, não estamos atrás de fotos pra arrebentar, pra deixar todo mundo embasbacado com o quanto somos foda. Um dos nossos maiores prazeres é dizer “você pode ver isso, foi num lugar comum assim, comece a fotografar também, você vai adorar, precisa ver como faz bem pra alma”.

Ah, e antes que você grite que você é homem mas também é mina, queria dizer que os mano e as mina é uma referência a valores, não importa o sexo. Competição, ostentação e arrebentar são valores masculinos. Contemplação, compartilhar, se importar mais com as emoções e menos com aspectos técnicos são valores femininos.