Você pode ajudar muito mais o mundo se antes cuidar de você

oi ….. bom dia

acho que pessoas como você são capazes de fazer muitas coisas boas pelo mundo. Mas é um preço alto, como você bem sente.

Não sei quantos anos você tem, mas eu tenho 39, e as situações que mais me deixavam brava, que eram capazes de me tirar do eixo eram aquelas em que eu dependia de outras pessoas. E nem era para coisas grandes como progresso do mundo, no ano passado eu não conseguia fazer birdwatchers irem até um post comentar um assunto importante pra gente, que é poder fotografar num parque sem que um segurança te proíba porque sua câmera chama a atenção.

As pessoas são lindas, complexas, e também podem muitas vezes serem bem difíceis e decepcionantes. Acredito que você pode seguir o seu caminho se:

– conseguir ter uma noção bem pé no chão do que pode conseguir, e sempre mantendo em mente como será bem mais comum ver fraquezas do que virtudes na ação das pessoas. Caminhar lembrando que as pessoas são falhas e fracas, que isso faz parte da natureza humana. E o ideal é que isso crescesse não como um sentimento de raiva ou desgosto, mas como entendimento, e com sorte, talvez até de compaixão.

– você precisa de uma válvula de escape.

Todo mundo precisa de uma válvula de escape, e quem lida com coisas pesadas e difíceis, como querer melhorar o mundo, precisa mais ainda. Aliás, talvez antes de continuar dedicado ao seu caminho, você deveria fazer uma pausa pra cuidar de você. Será muito mais fácil ajudar o mundo se você estiver se sentindo bem.

Você tem possibilidade de fazer terapia? Um terapeuta pode ajudar muito. Imagino que você sabe como é errado se sentir responsável pelo mundo, e o caminho de angústias que isso traz. Não é errado querer trabalhar para que o mundo seja um lugar melhor, mas é muito errado ter expectativas inconcretizáveis. Como se sentir responsável. Ou achar que um dia as pessoas deixarão de ser incompetentes.

Arruma tempo, energia, recursos pra cuidar de você. Tenho certeza de que você é uma pessoa boa, e capaz de fazer muitas coisas boas e importantes no mundo. Mas será mais eficiente fazer isso estando mais inteiro, mais forte. Você está partindo de uma posição com fraquezas. Cansado, momentos de angústia, expectativas muito altas, sem ainda ter descoberto sua válvula de escape seja em hobby ou as companhias certas.

Misantropos não são pessoas que vivem solitárias. Misantropos são pessoas que pensam muito, pensam demais, romperam com algumas convenções sociais e conseguiram assumir que antes só do que mal acompanhado. Se os eventos sociais fossem lugares em que você encontra pessoas francas, intensas, inteiras, dispostas a te ouvir e conversar sobre assuntos importantes, que não têm medo de mostrar o que tem de pessoal naquele assunto, você não socializaria muito mais?

Eu sou uma misantropa que tem marido, enteado, hobby, viagens, tranquilidade financeira, família amorosa, vários amigos queridos, blog, 25 anos de tradição de conversar muito, escrever muito, pensar muito sobre mim. Mas se passo duas semanas sem válvula de escape já me afeta. Paciência e tolerância diminuem muito, irritação constante, inquietação.

Somos misantropos, mas também somos humanos, e todos os seres humanos precisam de amor, amizade, carinho. Se você ainda não encontrou uma pessoa pra compartilhar sua vida, vá atrás disso, abra espaço pra isso, se for necessário se transforme pra isso. Se você ainda não tem alguns amigos especiais, gente que te entende, com quem é um prazer passar algumas horas papeando, pessoas com quem você se importa e que se importam com você, vá atrás disso também.

Uma pergunta pra você. Você tem experiência em trabalhar com grupos? No seu trabalho? Na faculdade? Algum trabalho voluntário? Ou lembra de como era fazer trabalhos em grupo na escola? Não sei se você teve a sorte de sempre ter grupos muito bons, mas minha experiência em lidar com pessoas me ensinou que no geral as pessoas são incompetentes, confusas, falhas, preguiçosas e sem nenhum vergonha de assumir a preguiça, sem foco, sem postura e atitudes profissionais como manter os outros informados, capazes de mentir e omitir para não serem repreendidas ou para não fazerem algo difícil ou trabalhoso.

Numa estrutura profissional às vezes você topa com um time bem afinado, competente (mas no geral sempre vão aparecer falhas de caráter), mas é um trabalho, com um chefe levando o grupo a rédeas curtas.

Nas situações em que não há uma cobrança efetiva, como um chefe rigoroso analisando sua atuação e capaz de punir infrações, a tendência do ser humano (e brasileiro, então) é relaxar, abusar, ultrapassar limites, não fazer o que é o certo e sim o que dá menos trabalho.

Você entende que isso faz parte da natureza humana?

Podemos melhorar o mundo, e seria ótimo se todo mundo se importasse em fazer algo para um mundo melhor. Mas você precisa encontrar um jeito de fazer isso sem que isso te arrebente. Não existe nada mais importante do que você. Você tem que cuidar de você, você tem que ser sua prioridade, você tem obrigação de agir, mudar, trabalhar pra viver sua vida seguindo seus valores. Pra ser feliz? Como falei naquele post sobre o Paulo Coelho, concordo que a felicidade não precisa ser o objetivo de todas as pessoas. Não tem problema em você assumir que o bem do mundo é a sua meta de vida. Mas pelo pouco que você contou, acho que você está partindo de uma posição difícil, expectativas altas demais, se sobrecarregando, correndo o risco de quebrar ou espanar.

Procura um terapeuta pra conversar. Um bom terapeuta é ótimo pra te fazer perguntas que te ajudam a ter uma compreensão mais ampla e realista sobre o mundo e sobre você mesmo. Eu já fiz terapia por curtos períodos duas vezes. Um deles me deu esse presente: eu estava falando de alguma situação ruim que ia acontecer se tal pessoa fizesse tal coisa. Ele me falou “mas isso é o futuro. Ninguém sabe como será o futuro, o futuro é incerto. Pode acontecer isso ou aquilo. Por que você escolhe pensar no pior cenário?” Isso teve uma boa influência nos meus valores. A partir daí tive muito mais clareza pra pensar sempre que o futuro é incerto, e que é uma escolha minha pensar no pior ou no melhor cenário. Outra situação comum com analistas é ele te perguntar “mas isso é o que você quer? Isso será bom pra você?” — porque é comum a gente pirar em responsabilidades ou obrigações, e deixar a gente em segundo ou terceiro plano. E isso é um erro. Se fazemos isso, começamos a fazer as coisas com sofrimento e sacrifício, e isso deteriora relações.

Arruma tempo pra você. Qualquer analista, bom amigo, ou blogueira misantropa vai te falar isso. Que você precisa cuidar de você. Conseguir sua válvula de escape, encontrar atividades e companhias que te dão prazer. E você pode continuar tendo como meta trabalhar pelo bem do mundo, não é contraditório, é só uma atitude sensata. Cuidando de você, você fica mais forte, mais durável, com mais capacidade para lidar com os desafios.

Escrevi como email pra você, mas acho que vou postar no blog sem seu nome, porque pode ser útil pra outras pessoas.
Escreva quando quiser, você é bem-vindo.