“Quem nunca brigou ou até saiu na mão com uma mulher?”

Atenção, amigos do Rio. Pedro Paulo Teixeira (PMDB), pré-candidato à prefeitura do Rio. Mentiroso. Machista. Minimiza caso de violência doméstica. Considera socos e chutes na mulher situação da vida privada, algo que acontece com qualquer casal.

Aconteceu há uns anos. E ele até conseguiu que a mulher fosse com ele na entrevista para dizer que ele não é um cara agressivo (fora quando fica bravo). Mas reparem no discurso. Ele mentiu e mudou as versões. E também pediu um “Pelo amor de Deus, vamos superar isso”.

É foda ter sua vida privada exposta. Mas as figuras públicas perdem alguns privilégios… e no caso de uma pessoa de poder, interessa sim saber essas coisas, porque muitas decisões que afetam a vida da população vão depender dos valores desse homem. Alguém que considera bater na mulher uma situação comum a qualquer casal.

Não importa que esse seja a opinião pessoal da criatura, que burrice não ter nem uma assessoria de imprensa para orientá-lo de que essa é a resposta beeeeeem errada. Que ele não poderia ter tentado dizer que foi uma vez só, porque seria fácil comprovar que foi mais de uma. Que ele não podia tentar minimizar. Que quando você faz uma cagada, tentar minimizar é a pior coisa que você pode fazer.

Eu sou de São Paulo. Mas se eu fosse carioca, a única declaração que poderia salvá-lo seria algo como:

“Sim, é verdade que eu covardemente agredi a Alexandra nas ocasiões tais e tais e tais. Eu a amava, mas perdi a cabeça, a gente brigou e eu fiz o que nenhum homem devia fazer, nunca, ainda mais contra alguém mais fraco.  Uma coisa é você ficar bravo e brigar com um cara do seu porte, com quem haverá uma luta justa, outra coisa é você ficar bravo e agredir alguém que você sabe que não tem como se defender.

Fiz algo horrível, de que me arrependo muito. Depois do episódio na data x reconheci que eu tinha um problema, procurei um terapeuta, e desde então tenho feito análise duas vezes por semana. Conversamos muito sobre esses episódios, e hoje sinto que entendo muito melhor, me controlo muito melhor. Já tive outras brigas com pessoas, momentos de sentir raiva, mas nunca mais parti pra agressão física, ainda mais contra uma pessoa mais fraca.

Lamento muito o que aconteceu, a Alexandra estava certa em fazer boletim de ocorrência, eu agi como um monstro. Ela diz que já me perdoou, mas eu entendo se ainda houver alguma mágoa, porque o que eu fiz foi totalmente errado, foi um ato covarde, imbecil, que nenhum homem deveria fazer.

Não há nada que justifique a violência contra a mulher, ou contra qualquer pessoa ou grupo, ainda mais nas situações em que você é o mais forte. A violência contra a mulher é uma realidade brasileira terrível contra a qual devemos lutar. Eu agi errado no passado, me arrependo profundamente do que fiz, e desde então aprendi mais sobre mim, a me controlar, e também tenho acompanhado o panorama dos diversos abusos contra as mulheres. No meu trabalho, vou lutar para desenvolver políticas públicas que combatam o abuso, assédio e violência contra as mulheres. Formarei um grupo de trabalho composto de fulanas, fulanas, fulanas para discutir formas de combater o machismo, para que cada vez menos homens acreditem que um homem tem o direito de agredir uma mulher”.

Em vez disso, a criatura falou frases como

“Quem é que não tem uma briga dentro de casa? Quem é que não tem um descontrole? Quem é que não exagera numa discussão? Nós somos um casal como qualquer outro. Às vezes exagera, fala coisas que não deve. Agora, não achar que isso possa ser uma coisa normal na nossa vida?”

 

Eu respondo, prezado sr. Pedro Paulo. Já tive vários relacionamentos, já tive muitas brigas, e também tenho vários amigos e conhecidos que nunca nem sequer consideraram a possibilidade de bater numa mulher. Já teve brigas feias sim, de sair gritando, batendo porta, querer saltar do carro, mas pra muitas pessoas, a ideia de chutes ou socos, ou mesmo um tapa, simplesmente não faz parte do conjunto de ações possíveis.

Brigou, ficou bravo? Você discute, ou sai bravo, ou chega até a falar num tom mais alto (e espero que o outro também responda no mesmo tom). Mas responder com um soco ou um chute? Que tipo de gente acha que isso é natural?

 

No balaio da política, em geral é a questão de escolher não o melhor candidato, mas o menos pior. Seu concorrente com certeza também terá muitos pontos negativos. Mas sinceramente espero que os pontos negativos dele pesem um pouco menos do que os seus, o suficiente pra você não ser eleito.

Não é natural e normal bater numa mulher. Ou assediar. Ou deixá-la com medo. Ou estuprá-la. Ou matá-la. Sei que no Brasil às vezes a gente até pensa diferente, já que estamos na casa de uns 500 mil estupros por ano, 60 mil ligações por mês para a Central de Atendimento à Mulher (180), pra quem as mulheres podem ligar pra denunciar violência e pedir ajuda, 5 mil mulheres assassinadas por ano. É comum agredir e violentar mulheres. Mas não é normal e natural, e esse cenário de violência precisa mudar.

 

“Divulgado por Época, o boletim de ocorrência registrado em 26 de dezembro de 2008 registra que Alexandra foi xingada de vagabunda e piranha, e tomou bofetadas no rosto e no corpo. A filha do casal, à época com 2 anos, estava no banco de trás.

Em outubro, Veja revelou um laudo de exame de corpo delito que comprova que Alexandra foi usada como saco de pancadas em 2010. O laudo descreve que Alexandra foi jogada contra a parede e o chão, teve o pescoço agarrado e tomou socos e chutes.”

E olha a pérola: uma dessas brigas aconteceu porque a esposa descobriu que ele tinha traído ela. Você descobre que é corna, vai tirar satisfação, leva chutes e socos, é jogada contra a parede, e uns anos depois ainda vai em entrevista coletiva dizer que seu marido não é uma pessoa agressiva. Eta mundo machista da porra.

http://www.brasilpost.com.br/2015/11/13/pedro-paulo-agressao-mulher_n_8560030.html

 

http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2015/08/aumenta-numero-de-denuncias-de-violencia-contra-mulher-no-brasil.html

http://m.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/05/1632223-meninos-sao-criados-para-agir-de-forma-predatoria-diz-especialista.shtml?mobile

http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/eleicoes-2016/pedro-paulo-explica-a-aliados-denuncia-de-agressao/: “Pedro Paulo Teixeira passou o fim de semana inteiro ligando para deputados e outros políticos fluminenses garantindo que não agrediu a ex-mulher Alexandra Marcondes Teixeira, como revelou reportagem no site de VEJA na última sexta-feira.

Virtual candidato do PMDB à sucessão de Eduardo Paes na Prefeitura do Rio, Pedro Paulo teve um revés com a revelação do incidente, ocorrido em 2010.

O que o ex-secretário não explica é o laudo do IML que atesta as agressões.”

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/11/1705728-secretario-de-paes-escala-ex-mulher-que-agrediu-para-defende-lo.shtml

http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2015-11-14/curriculo-de-pedro-paulo-apresenta-informacao-errada-no-site-da-prefeitura.html