Qual a diferença de poder escolher o momento em que você vai ter um filho?

Artigo da BBC: http://www.bbc.com/portuguese/geral-40166203

[Nos Estados Unidos]

“Em 1970, 90% dos formandos em Medicina eram do sexo masculino. No Direito e na Administração, homens detinham 95% dos diplomas. Na Odontologia, 99% dos diplomados eram homens.

Mas no início daquela década, munidas da pílula, mulheres começaram a adentrar as salas de aula. Inicialmente, eram um quinto da classe, depois, um quarto. Por volta de 1980, respondiam por um terço do total de alunos.

(…)

Goldin e Katz monitoraram a disponibilidade da pílula para mulheres jovens em cada Estado americano. Eles demonstraram que, à medida que as autoridades nos Estados liberavam o acesso à pílula, aumentava o número de matrículas de mulheres em cursos, assim como os salários pagos a mulheres.

Há alguns anos, a economista Amalia Miller usou uma série de métodos estatísticos para demonstrar que se uma mulher com idade entre 20 e 30 anos fosse capaz de retardar a maternidade em um ano, seu salário aumentaria em 10%.

(…)

Para se ter mais uma medida do impacto da pílula sobre a vida das mulheres, basta olharmos o caso do Japão, onde a pílula somente foi aprovada para consumo em 1999. O atraso de 39 anos teve grave impacto sobre o futuro das mulheres no país.

Apesar de ser uma das sociedades tecnologicamente mais avançadas do mundo, o Japão é tido por muitos como a nação desenvolvida com maior desigualdade de gênero no mundo.

É impossível distinguirmos entre causa e efeito nesse caso, mas a experiência nos Estados Unidos sugere que não seja coincidência.”