Qual a importância da arte e magia na sua vida?

É possível viver sem arte, todo mundo sabe. Viver em cidades feias, trabalhar e viver em lugares sem graça, conviver com gente que não é gente, não ouvir músicas boas, não assistir a shows, não ver exposições, não ter roupas legais, não frequentar livrarias ou não ter o costume de ver imagens na internet que mostram o que as pessoas criativas têm feito, não ler histórias nem assistir a filmes que mexem com você, que mudam você.

É possível viver sem arte e sem magia. Sem acreditar que existe o espetacular, o inusitado, os pequenos e grandes milagres, o inexplicável.

É possível viver, é possível sobreviver, e acho que bilhões de pessoas fazem isso todos os dias no automático, acreditando que isso é a vida.

Mas a minha pergunta é: qual a importância da arte e da magia na SUA vida? A sua vida. Sua, sua, aquela que ninguém mais pode viver, aquela que você tem total responsabilidade e deveria ter controle, ou pelo menos tomar as atitudes pra comandar o máximo possível.

Qual a diferença de viver conectada com alguma ou algumas das musas, seja na forma de artes plásticas, ou literárias, ou performáticas, de viver acreditando que existem coisas entre o céu e a terra maiores do que imagina nossa vã filosofia – ou ser alguém que nem gosta de assistir ou ler obras com final feliz porque pra você a vida não é assim?

Há deuses, grandes e pequenos, que abençoam e inspiram as pessoas que entendem que a vida sem arte perde grande parte do valor e do sabor.

Uns meses atrás eu falei que me sentia abrindo espaço na minha vida, ainda não sabia bem pra quê. Acho que estou encontrando a resposta. Pra poder me conectar mais com a arte, e isso passa por arrumar o apartamento, não é futilidade, é lembrar que a gente precisa e merece estar rodeado de beleza e de arte. Talvez logo finalmente voltar pras ilustrações, pras artes decorativas.

E abrindo espaço pras bruxas da minha vida. Uns dias atrás recebi um email que tinha isso “a bruxa desvairada em mim saúda o samurai de sangue quente que há em você”. Fiquei pensando nisso. Uns dias depois, outra bruxa com quem eu não conversava fazia tempo me dá notícias, e combinamos pra nos encontrar, e nos encontramos.

Eu não sei nada de bruxas. Mas de vez em quando estou em contato com elas. Muitos anos atrás experimentei ahyahuasca a convite de uma bruxa, que me conheceu numa sala de chat de discussões filosóficas, e me disse que meus questionamentos tinham tudo a ver com as bruxas.

E agora ao mesmo tempo estou falando com essas duas queridíssimas, que têm suas ligações incontestáveis com o invisível.

Não sou bruxa como elas. Mas me apareceu ou inventei esta imagem: a ideia de ser mesmo um samurai, com direito a cavalo e espada, daqueles que pratica caligrafia (ah, quem conhece minha letra pensaria como posso ter degringolado tanto), ikebana, toma chá em cerimônia, escreve poemas. Um samurai, ou algum outro guerreiro qualquer com um lado gay, conectado com a arte, e cheio de compaixão pelo mundo e pelas pessoas. E um dia encontro as bruxas, mas como não sou tosco e tenho esse lado gay, não fico com medo delas, nem penso em queimá-las ou matá-las. O que eu sinto é curiosidade e admiração pela arte delas.

Talvez as tenha ajudado e protegido. E ainda hoje, nesse mundo, sempre tento ajudá-las e protegê-las, nem que seja com o mínimo, por dizer pra elas que acredito nelas, que eu sei que elas não são loucas, e que elas deviam sim dar atenção e cultivar essas coisas que não têm explicações racionais.

Talvez por isso eu tenha essa vida tão encantada, recheada de marmeladas, enredos e cenas de cinema: porque tenho as bênçãos de bruxas. E ganho presentes, que tenho permissão pra compartilhar:

Um poema-encantamento-oração pra quem quer se conectar mais com a arte (Speak louder, pull me harder!)

— x —- x

The reluctant muses pull at the fibres within me
But so quickly they turn away

The fleeting goddesses have become indisposed
And long to leave this no man’s land

I hear their cries and moans
Even as I beckon to them
To bring their inspiration back
I am listening!
Speak louder, pull me harder
Or I might quietly sink into the bottomless ocean

As I float so close to the surface
I can feel the warmth, I can see the sunlight,
The will, it burns within me
But it will be for nothing if I am left here

So hear my silent wish and reach out
Just stretch your hand and pull me out

Let my head break through the water
And the crisp air fill my lungs
Heal my broken voice until it’s crystal-sharp
So that my scream may tear the skies
And bring all that’s holy back to Earth

— Marcela Tizo

 

E outro presente da Marcela foi este vídeo da Julie Feeney. Tem gente que escreve com sangue. E tem gente que consegue cantar com sangue. É impressionante, especialmente a partir dos 2 minutos, muito intenso:

E é algo desse show. A música que aparece no Spotify não é a mesma coisa. A Marcela me explicou que a Feeney tem umas músicas bem bocós, mas é capaz de fazer algo como esta.

 

Se você está vivendo o mesmo ciclo astrológico de vários conhecidos meus, sua vida andou empacada nos últimos meses, você olha pra trás e sente que as coisas não renderam, que você não sai do lugar, que nada evolui.

Não é fase de colheita (me disseram que só melhora a partir de agosto, mais paciência), mas sempre podemos plantar. Cuidar de si, arrumar a casa, lidar com questões espinhosas e trabalhosas mas que precisam ser resolvidas. Abrir espaços. Arrumar a casa e se arrumar por dentro. E pra quem sente falta de mais arte e mais magia na vida, declare pro universo que você quer isso, conte pra todo mundo que você quer, que você está ouvindo, que é pra chamar mais alto e puxar com mais força, pra curar o que está quebrado dentro de nós. Porque queremos fazer parte da armada capaz de trazer o sagrado de volta à Terra.

 

Viagem?

O sentido pra vida somos nós que escolhemos. É você que escolhe viver com magia, ou sem magia. Conectado com a Arte, ou desconectado. Decida-se. Eu me decidi faz muitos anos, e passo por fases de me distanciar do mágico, mas nunca deixei de acreditar. Pikachu, eu escolho você! Quer dizer, vida encantada e com magia, eu escolho você!