Por que usar a biologia pra defender ou atacar um comportamento é uma burrice sem tamanho

Hoje apareceu uma notícia boa: a possibilidade de Levy Fidelix ter que pagar R$ 1 milhão de multa pelas declarações homofóbicas em cadeia nacional na época dos debates entre os presidenciáveis.

http://www.cartacapital.com.br/blogs/parlatorio/justica-condena-levy-fidelix-a-pagar-1-milhao-de-reais-por-declaracoes-homofobicas-9659.html

Minha gente. É muito importante entender o seguinte: liberdade de dar pra quem quiser, de amar quem você quiser, é um assunto muito sério, sério demais. Por motivos que envolvem cultura, religião, psicologia, inseguranças, machismo, os assuntos relacionados à liberdade sexual causam alvoroço na maior parte do mundo. Milhões de pessoas são torturadas física e mentalmente, e algumas milhares são estupradas, espancadas, presas ou assassinadas só por não seguirem um modelo tradicional de quem gostar, do que parecer, de como se portar.

É um cenário gravíssimo. Se fosse algo mais leve e inconsequente, talvez até colasse a tal história de liberdade de expressão. Mas não é o caso. O caso é que no mundo todo, e também no Brasil, muita gente apanha, é estuprada, sofre bullying, ou é assassinada. Só por não ser papai-mamãe. Não há espaço pra brincadeira. Ou melhor, acho que num espaço privado, é ótimo fazer piadas com seu amigo/amiga gay, é rir pra não chorar. Mas no espaço público, é preciso defender sempre o direito de amar e dar pra quem quiser, e de parecer o que você quiser.

Os argumentos típicos de quem condena quem não é papai-mamãe são:

– “É antinatural. Por uma formação biológica o certo é só haver macho com fêmea”.

Ok. Podemos fazer só o que a natureza nos forneceu como kit básico? Então joga fora seu óculos, sua prótese, seus remédios, seu computador, seu carro, seu celular. Morra sem transplante, ou veja seus pais ou seus filhos morrerem assim.

Outra forma de olhar: animais podem fazer coisas antinaturais? Porque na natureza há diversos exemplos de homossexualidade. E também de estupros, pedofilia, pirataria, genocídios.

Usar a natureza para justificar algo é uma péssima ideia, porque a natureza tem de tudo.

– “não tem nada de errado na declaração do Fidelix, o que ele falou não é mentira, aparato excretor não reproduz”

Ah, é? Nada de errado? Que tal sair falando coisas do tipo “vagina serve pra enfiar o pinto e gozar dentro, pra poder gerar filhos”, não é mentira. Biologicamente é pra isso que servem os órgãos reprodutores femininos e masculinos. Mas vai negar que esse é o tipo de frase que incentiva o estupro?

Da mesma forma, reduzir um relacionamento homossexual a sexo anal é o tipo de coisa que incentiva os discursos e ações de ódio, por parte daquelas pessoas pra quem a própria sexualidade é um assunto bem complicado, e ficam malucas quando pensam na sexualidade dos outros.

– “a homossexualidade é contrária às leis de Deus”

Tipo “Crescei e multiplicai-vos?”. Veja. Por maior que seja a sua fé, é impossível exigir que todas as pessoas acreditem nas mesmas coisas que você acredita. O Deus cristão é só um entre milhares de deuses que os seres humanos acreditam que existe.

Outra questão é que se for pra seguir com fidelidade as orientações da Bíblia, que inclui o crescei e multiplicai-vos, você devia parar com masturbação, pegação, beijos lânguidos, pornografia ou qualquer tipo de literatura ou vídeos ou práticas que tragam excitação sexual. Sem pílula ou camisinha. Nada de prazer sexual. Aliás, também não devia-se usar roupas que insinuam contornos do corpo, nem se depilar, nem se bronzear, nem passar creme contra estria ou celulite, nem ir pra academia pra ficar sarada e atraente. Porque segundo a Bíblia, sexo existe pra gerar filhos, e ponto final.

– “o Fidelix e as pessoas que são contra esses gays deveriam ter direito de falar o que quiser, cadê a liberdade de expressão?”

Fioto, a liberdade de expressão acaba quando o discurso incentiva coisas ruins. As palavras inflamadas do líder carismático cabeça-de-bagre podem fazer com que pessoas sejam espancadas, torturadas, estupradas, assassinadas.

– “eu não me importo. É o que essas pessoas merecem”.

Você realmente pensa isso? Que as pessoas merecem ser espancadas, estupradas, presas ou assassinadas porque elas não têm as mesmas crenças que você?

Você é uma vergonha pra raça humana. Espero que um dia você sinta uma grande atração gay ou por qualquer prática que não é aprovada por sua pequena comunidade, ou que tenha que padecer o suplício de ver alguém querido sofrer, talvez até sofrer muito, só porque não é papai-mamãe. E daí quem sabe você reveja suas ideias do que as pessoas merecem ou não.

“A naturalização do discurso de ódio e da incitação à violência contra a população LGBT é assustadora. E ainda tem gente que acha que tudo isso é liberdade de expressão ou opinião. Enquanto isso, assistimos ao recrudescimento da violência letal contra gays, lésbicas, travestis e transexuais. Nas últimas semanas, foram vários casos. Um candidato gay do PSOL do Amapá recebeu ameaças homofóbicas e, dias depois, uma pedrada na cabeça, e acabou no hospital. Um menino gay de 19 anos foi sequestrado, torturado e queimado vivo durante um “ritual de purificação” em Betim, Belo Horizonte. Sobreviveu, foi socorrido por amigos que o levaram ao hospital e acharam ao lado dele, que estava inconsciente, uma nota que dizia que o grupo que o atacou faria “uma limpeza em Betim (para) trazer o fogo da purificação a cada um que andar nas ruas declarando seu ‘amor’ bestial”. Outro jovem gay de 19 anos, em Interlagos, São Paulo, foi espancado e sofreu uma tentativa de estupro.“Você quer ser mulher? Então agora vai apanhar como mulher”, falaram para ele. Tudo isso em uma semana.” Jean Wyllys 

http://www.cartacapital.com.br/politica/por-que-levy-fidelix-fala-o-que-quer-e-nada-acontece-3609.html