Por que há um projeto de lei pra multar quem passa cantadas em locais públicos

http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2017/01/projeto-de-lei-propoe-multa-para-quem-passar-cantada-em-curitiba.html

“De acordo com o projeto, abordagens intimidadoras, exibicionismo, masturbação, perseguição a pé ou qualquer outro meio de transporte, uso de palavras impróprias para denegrir ou constranger a vítimas, entre outros, estariam passíveis a multa caso o texto seja aprovado.”

Sabem o que é o pior de tudo? A quantidade de comentários, de homens e mulheres, dizendo que um projeto desse é total falta do que fazer, que há temas muito mais importantes a serem tratados, que as mulheres vão montar quadrilhas pra extorquir os homens, que não tem nada demais em passar uma cantada e que assim a raça humana vai se extinguir.

Criei coragem e escrevi um comentário pra notícia, tentei postar mas acho que não consegui, cliquei e não aconteceu nada mesmo depois de me cadastrar. Vou publicar aqui:

“Parabéns à vereadora Maria Letícia, torço para que o projeto seja aprovado logo. Quem comentou criticando a proposta provavelmente não leu o texto, apenas o título, e pulou este parágrafo: “De acordo com o projeto, abordagens intimidadoras, exibicionismo, masturbação, perseguição a pé ou qualquer outro meio de transporte, uso de palavras impróprias para denegrir ou constranger a vítimas, entre outros, estariam passíveis a multa caso o texto seja aprovado.”

Olhar, sorrir, falar oi num local público, iluminado, com circulação de gente — onde você não corre o risco de assustar a mulher — ver se ela se interessa por você e começar uma conversa é muito diferente de passar cantadas chulas, por o pau pra fora e começar a se masturbar olhando pra ela, ou se aproveitar em ônibus ou trem pra ficar se esfregando, tentar agarrar ou perseguir, olhar pra uma desconhecida e grunhir “ôh gostosa-bunduda-peituda, vou te chupar todinha, vem fazer neném comigo”. Estas seriam as situações passíveis de multa. E infelizmente são muito comuns.

O Brasil é o país dos 130 mil a 450 mil estupros por ano, dos estupros coletivos, estupros de crianças. Toda semana você lê notícias de mulheres assassinadas porque o ex não se conformou com o fim do relacionamento.

Que reclamou do palavra x palavra também não leu o texto. O texto diz que as multas seriam aplicadas pela Guarda Municipal, mediante flagrante ou análise de vídeos.

E quem disse “e se o homem só queria elogiar a beleza da moça”, pergunto: qual o objetivo de elogiar a beleza da moça? Você acha que um homem tem o direito de chegar pra uma desconhecida e falar “nossa, que peitos lindos você tem, que bundão”? “Não, você me entendeu errado, eu ia falar que ela tem olhos lindos, um sorriso bonito”. Claro, acredito. Achou a moça muito linda, ficou encantado por ela e quer namorar? “Gostosa”, “Delícia”, “Tesuda” não são palavras que você tem o direito de falar numa primeira abordagem. Encontre um local público e seguro, em que ela não fique com medo, e tente puxar conversa, arrume um conhecido em comum para te apresentar e vê se dá certo. “Não, não quero namorar, tá louca! Eu só queria elogiar o que é bonito, um homem não tem o direito de fazer isso?” Claro que tem. Numa conversa com seus amigos você pode contar sobre a morena incrível que você viu na rua. Na sua casa você pode bater punheta pensando nela. Mas na rua, você não pode falar ou fazer coisas que a deixem com medo, assustada, ofendida.

Quem acha que é mimimi, me explica como se combate as centenas de milhares de estupros por ano no Brasil, inclusive de adolescentes e crianças, inclusive estupros coletivos. Uma lei que diz que mulher é um ser humano, que você não pode falar qualquer coisa, que não interessa só o que você pensa e sim como ela vai se sentir parece um bom começo.

E pra quem perguntou por que não há um projeto pra proteger os homens de cantadas, imagino que é devido ao fato de ser raro casos de mulheres que estupram, espancam, mutilam e assassinam homens. “