Por que deveria haver mais imagens de gays, lésbicas, negros, muçulmanos, judeus, mulheres independentes em novelas, propagandas, filmes

Porque o preconceito e ódio são reais.

Porque no mundo todo, milhares de pessoas são espancadas, estupradas, torturada, assassinadas, sofrem bullying… tudo porque elas não estão dentro do padrão casal-hetero-cristão.

Porque desejo sexual é uma força grande e assustadora, muito mais assustadora quando você vive sob regras que dizem coisas como “camisinha – instrumento do demônio”, “mantenha a virgindade, guarde-se para o casamento”, “Deus criou o macho e a fêmea”.

Desejo sexual é um fato pra maioria das pessoas. Mas o que acontece quando você tem que viver com essa força reprimida, tida como algo sujo e vexatório, que só é legitimado sob circunstâncias muito específicas? É fácil ficar maluco, fantasiando muita coisa, principalmente o que as outras pessoas estão fazendo. É fácil odiar e condenar todo mundo que não esteja sofrendo as mesmas restrições que você.

Nós precisamos de mais imagens que mostrem que não-heteros também são pessoais legais, normais, carismáticas, felizes. Imagens que mostram como negros, nordestinos, muçulmanos, judeus são pessoas absolutamente comuns, normais, com pai, mãe, filhos, sonhos, medos. Precisamos de imagens que mostrem que a mulher não precisa viver apenas sob o estigma de objeto sexual ou mãe abnegada, que existem muitos caminhos possíveis e desejáveis pra vida de uma mulher.

O mundo precisa, desesperadamente, de imagens que nos ajudem a construir outros conceitos sobre a humanidade. Porque ter seguido por esse caminho estreito nos deixa tapados e idiotas, capazes de estuprar, espancar, mutilar, torturar – só porque o outro não se encaixa na forminha estreita do nosso conceito do que deveria ser uma outra pessoa.

Muitas pessoas, talvez a maioria das pessoas, vive uma vida limitada à convivência com as pessoas de sua comunidade. Sua cidade. Às vezes alguma historia de um conhecido de um conhecido. A maioria das pessoas não teve oportunidade ou interesse em estudar antropologia, sociologia, psicologia, história. Vivem e viverão a vida toda num universo pequeno, achando que aquilo que elas observam em seus arredores, que elas ouvem como fofocas de seus colegas, que o padre fala, que aquilo é o mundo.

Esse é um motivo a mais para que a grandeza do mundo, das culturas, da diversidade de formas de viver sejam divulgadas na forma de propagandas, cultura de massa. Para que mais pessoas tenham a oportunidade de entender como o mundo é amplo e lindo (e também medonho), o quanto aquilo que acreditamos ser uma verdade inabalável é apenas uma das verdades possíveis, e que não há nada que justifique mutilar, torturar, estuprar, espancar, assassinar, prender – só porque o outro tem crenças diferenças das nossas.

Não se engane: homofobia não está no nível de liberdade de expressão. Faça um mínimo de pesquisa, ou converse com qualquer um com um mínimo de interesse no assunto. Você vai descobrir quantas pessoas sofrem torturas físicas ou psicológicas só por não conseguirem viver no modelo tradicional. Talvez você seja o tipo de gente que não gosta de homossexuais, mas nunca trataria mal. Pois saiba que há muitas pessoas que não só tratam mal com xingam, jogam pedras, espancam, estupram, matam – essa é a força que os discursos de ódio e intolerância têm dentro delas. E é por isso que é preciso combater tanto ódio com imagens positivas.

Ouço por aí o argumento de que o medo é a influência sobre as crianças. Jesus. Medo de que as crianças cresçam sabendo que ser homossexual não significa ser uma aberração, um monstro? Medo de que seus filhos nunca farão parte do grupo de gente capaz de espancar, torturar, estuprar alguém que é diferente? Ou medo de que um dia seu filho descubra que é mais feliz em relações homossexuais, e viverá feliz com alguém do mesmo sexo, em vez de viver frustrado e raivoso tendo que manter uma fachada heterossexual? Que tipo de gente tem medo de que as crianças cresçam como seres humanos mais tolerantes e mais aptos a serem felizes e realizados?

Ok. Talvez você tenha as suas crenças religiosas que exigem heterossexualidade para ser uma pessoa honrada e feliz. Ainda assim, não tire dos seus filhos a oportunidade de ter uma visão mais ampla do que significa ser humano. Ofereça esse contato e afaste-o definitivamente do risco de fazer parte das pessoas capazes de torturar e espancar alguém que é diferente. Ganhe-o no carisma na relação com a sua religião, em fazê-lo acreditar que as suas crenças deveriam ser as crenças dele também, em como seguir aqueles preceitos tornam vocês mais conectados com um sentimento de divindade, bondade, justiça, humanidade. Mas por favor, não tire dele a oportunidade de ter uma visão mais ampla sobre a vida.