Faça piqueniques e seja mais feliz!

Não sei se ficarei offline por uns dias, então estou correndo para aprontar este post na esperança que ele seja útil pra alguém já neste final de semana.

A ideia é: piqueniques. É possível viver sem piqueniques, mas sua vida fica um pouco pior, e só quando você volta a fazer um pensa “por que passei tanto tempo sem fazer um piquenique”?  Piqueniques trazem a sensação de frescor, quebra de rotina, momento especial.

Pra quem nunca fez, ou só tem lembranças de infância: primeiro os motivos de piqueniques serem tão bons:

– comer ao ar livre, de preferência em frente a um cenário bonito, é uma delícia

– um piquenique é um evento muito informal, e pra mim a informalidade traz uma alegria a mais para um evento: você não consegue carregar todos os artefatos, então as coisas ficam meio improvisadas, as pessoas dividem talheres, às vezes copos ou pratos, pegam as coisas com as mãos, fica aquele clima de reunião de família

– escolha algumas comidinhas gostosas e você consegue valorizar tudo: sempre que pensar no passeio vai lembrar do piquenique, e o piquenique é mais gostoso ainda porque tem o sabor do cenário bonito em que estava.

Sugestão de cardápio e do que levar

Leve o que você gosta de comer. Sempre acho que precisa ter pão, de preferência algum bem gostoso. Nossos piqueniques na França (lembranças muito melhores do que o restaurante estrelado do Michelin) eram precedidos por uma peregrinação na boulangerie, na queijaria, na charcutaria,na quitanda, e em algum lugar pra comprar vinho.

Em São Paulo seria muito complicado fazer isso, então para o passeio no Parque do Carmo fui a um supermercado e comprei requeijão, patê de ricota e azeitonas pretas, presunto cru, brie, pera, morango, cerejas, pepino e cenoura. Pra quem estranhou os últimos itens: gosto de ter algo vegetal pra comer junto com o pão, ou como palitos. Pra mim faz parte do clima de frescor do evento. Outras opções: tomate, azeitonas, outros tipos de queijo ou de frios. O importante é ser prático de carregar e não ser fácil de estragar. O Luccas levou pães especiais, castanhas, chips de mandioca e uma garrafa térmica com café, a Ju levou vinho, água, copos e pratos descartáveis.

Piqueniques-Parque-do-Carmo-4

Pra quem é chegado em doces, basta levar doces fáceis de comer e que resistam a algumas horas fora da geladeira.

Uma embalagem térmica é desejável para preservar melhor a comida. Leve faquinhas para cortar os pães, os legumes e as frutas. Legumes e frutas já lavados – mas acho que é melhor cortar na hora, mesmo que seja de forma meio precária, na mão, porque assim mantêm o sabor fresco. Guardanapos de papel, um guardanapo de tecido, toalhas de piquenique ou cangas de praia pra estender no chão. Sem garfos. Basta lavar as mãos antes de começar o piquenique, e todos se servem pegando as coisas com as mãos.

Se você vai a algum lugar que parece ser tradicional de piqueniques, fique de olho nas formigas, às vezes elas chegam bem rápido.

Cestas de piquenique são bonitas, mas meio desajeitadas. Levei os frios na sacola térmica, e os outros itens numa sacola de feira. Não esqueça de levar um saquinho para juntar o lixo.

O mais importante é ter tempo e tranquilidade e ótimas companhias.

——

Há anos eu não fazia um piquenique em São Paulo. Mas nas viagens sempre fazemos, de uma forma ou de outra, mesmo quando não é um piquenique completo. Pra mim o que caracteriza a sensação de piquenique é estar comendo algo com as mãos em frente a um cenário bonito, fora de uma estrutura de restaurante ou casa. Pode ser até num banco de praça, como fizemos em Nova York em 2012 no Madison Square Garden, a grama estava muito concorrida e minha roupa não era boa pra sentar no chão.

Em Paris também vimos como era comum as pessoas lotarem gramados, com seus pães e vinhos, e na viagem pro Sul da França nossas melhores lembranças são dos piqueniques: em frente ao lago dos flamingos, ou na sombra de ruínas de mais de 2 mil anos, na sombra de palácios medievais. Muita gente que viaja pra Europa concorda que os piqueniques são uma parte essencial da viagem. Na África do Sul não fazemos um piquenique, é mais um lanche, mas em geral os jantares são caprichados, com carnes e legumes na churrasqueira, e vinho, quase todas as noites – um dos prazeres da viagem, mas conto em outro post.

One thought on “Faça piqueniques e seja mais feliz!”

Comments are closed.