Onde a mágica acontece

Olá, queridos leitores misantropos, introvertidos e simpatizantes. Desculpem pelos dias sumidos, em geral são os dias que saio pra fotografar. Neste fim de semana estava em Ubatuba, o 3G funcionava, mas é bom a gente sair e desconectar.

Queria saber como vocês estão nas missões de se abrir mais pro mundo, se arriscar mais, se sujeitar ao ridículo, aos risos, à chacota, ao desprezo, mas também ao maravilhoso. Ao risco de conhecer pessoas incríveis.

Tenho atualizações de como anda minha missão. Continuo firme e forte.

1 – Sabem o tal grupo com quem estudei dos 7 aos 14? Na missão de mundo mais humano, decidi insuflar assuntos como ganchos pra conversar mais de verdade com as pessoas. Tem um minigrupo de pessoas mais próximas, incluindo a menina que era minha melhor amiga nessa época, e mais dois caras com quem eu sempre fazia trabalhos em grupo. Perguntei o que eles achavam da ideia, eles acharam péssimo, mas falaram que eu podia fazer se quisesse, então escrevi este post:

Claudia Komesu 4 de abril de 2017 08:36

Queridos colegas do Sesi, não vou mentir, tem muita gente de quem eu não lembro, mas a iniciativa do Fabio foi muito boa e é uma alegria retomar contato com vocês, imagino que todo mundo lembra com carinho da época e que estamos todos animados com a ideia de nos reencontrar.

O Fabio falou que foi ótimo rever a Rosângela e a Fabíola, que a sensação foi de que eles tinham se visto ontem, e não há 25 anos, e imagino que muita gente vai se sentir assim.

Mas a verdade é que a gente não sabe mais nada de nós, certo? E num encontro com muita gente, você nunca consegue conversar com todo mundo. Que tal a gente falar um pouco de nós, pra ir papeando até o dia do encontro, e também pra aproveitar mais no dia, você já saberá que tal pessoa gosta de tal coisa e pode falar disso com ela.

E o que tem de melhor pra conhecer o outro do que o bom e velho caderno de perguntas? VEJA BEM: quem tem guardado não é pra publicar o que tem lá, de jeito nenhum, isso é coisa pra blackmail. Estou falando de responder agora. Vi este site http://www.anos80.net/brinquedos-e-brincadeiras/caderno-de-perguntas/ e separei/adaptei umas perguntas, vou colar aqui e quem quiser responde. Acho que a pessoa pode abrir um tópico com a pergunta, e quem quiser responder também escreve embaixo, como se fosse uma folha de caderno. Ou pode inventar outras perguntas.

Perguntei pro Fabio se eu podia fazer isso, ele me mandou uma mensagem de áudio com voz cavernosa dizendo que está fora, mas confirmei que seu quisesse fazer, a caveira é minha 🙂

Então quem quiser, pegue uma pergunta, abra um post e responda, eu vou respondendo também.

1. Qual o seu nome e apelido?
2. Qual a sua cor favorita?
3. Você gosta de alguém ou tem namorado (a)? Qual o nome dessa pessoa?
4. Você tem filhos? Quais os nomes e as idades deles?
5. Qual é seu hobby ou atividade favorita?
6. O que você estudou e qual o seu trabalho?
7. Qual o seu estilo musical favorito?
8. Fale de um filme de que você gostou bastante
9. E um livro?
10. Qual a coisa mais maluca que você já fez?
11. Você acredita em destino?
12. Qual foi a melhor e a pior viagem da sua vida?
13. Qual a sua comida favorita? E qual você odeia?
14. O que é um dia ideal para você?
15. Você tem medo de alguma coisa? Escreva o que é.
16. Onde você gostaria de estar agora?
17. Qual a mensagem que você gostaria de deixar para as pessoas que vão ler este caderno?

 

Comecei pela 13. Contei que adoro pão quente com manteiga e que odeio sarapatel, mas que já tive que comer um prato todo pra não perder pontos com a minha sogra, porque sei como ela fala mal de quem não come isso ou aquilo, e já tenho muitos pontos a menos por ser quieta e só falar de alguns assuntos.

Um dos colegas contou que também é quieto, que a esposa reclama. Perguntei se ele já tinha lido sobre introvertidos. Ele contou que a mente dele é extrovertida, uma expressão de que gostei bastante.

Alguns outros participaram do post, só pra responder objetivamente a pergunta, mas aproveito cada resposta pra papear com a pessoa.

Estou me expondo pra gente que não vejo há 25 anos e que têm muitos motivos pra falar que eu sou louca, esquisita, gafenta.

Mas também estou me expondo pra quem estiver procurando um outro tipo de relações com as pessoas. Um mundo mais humano, mais gentil, mais franco, com sabor de mais intimidade e menos de discrição e temas pasteurizados.

Vou responder uma pergunta todos os dias, mesmo que com o passar dos dias ninguém mais comente. Não vou me sentir envergonhada ou avexada. Quem não tiver interesse, não leia meus posts, quem tiver interesse, vai me encontrar no início de junho sabendo mais sobre quem eu sou.

 

2 – Estou dando a chance pro meu amigo desumano ouvir isso de mim

Tenho um amigo desumano. Ele é uma pessoa muito inteligente, de bom caráter, bondoso. Mas é de gêmeos, e sabem como podem ser as pessoas de gêmeos: elas não te enxergam. Estão ocupadas demais com os próprios pensamentos e opiniões e não querem saber sobre você. Esse meu amigo tem várias qualidades, mas esse lado desumano dele me desconecta dele. Acho que ele pensa na gente como bons amigos. Somos amigos, mas ele não entra pro grupo seleto de amigos bem queridos. Acho que ele nunca perguntou o que eu penso sobre um determinado assunto, já falei sobre coisas bem importantes pra ele, e ele nem tchum, e ele foi a criatura capaz de falar “então já sabe, se encontrar uma mulher se afogando é melhor deixar morrer pra não correr o risco de ser processado depois” – o tipo de gente capaz de pegar histórias pontuais de gente louca pra falar o quanto o feminismo é mimimi.

Contei sobre uma viagem que vou fazer no fim do mês, nessas ocasiões ele costuma falar sobre o quanto eu devia ser o mecenas dele. Expliquei que se eu ganhar na mega sena, poderei ser mecenas. Talvez ele pense que eu tenho muito mais dinheiro do que tenho, falou que eu podia já ser mecenas aos poucos. “Eu e o Cris somos dois capricornianos, somos super-muquiranas (…)”, ele falou que “somos dois capricornianos” deve significar alguma coisa, mas ele não sabia o quê. Falei que ele perde muita coisa na vida por não acreditar em astrologia (não em previsão do futuro, mas em aspectos gerais de personalidade), falei sobre gêmeos, como eles não enxergam os outros (não todos, é claro. Tenho uma amiga bem querida de gêmeos que é boa pra enxergar os outros, mas ela também concorda que há vários geminianos que não são assim), dei o exemplo de uma frase do guruzinho “ei, você está pisando no meu pé”, “desculpe, não vi”, “é disso que eu estou falando”.

Ele me respondeu que não acredita em astrologia, que ele é de gêmeos e que é uma pessoa com muita empatia. Respondi que eu sei que ele é de gêmeos, mas que concordo com o guruzinho.

Agora cabe ao meu amigo decidir se quer ouvir o resto, ou não.

Gostaria muito de contar pra ele das coisas que ele faz que o tornam desumano porque eu realmente acho que ele não tem noção. E sei que não é loucura minha, temos outro amigo em comum, esse um cara com quem me sinto conectada, e ele concorda com essa sensação de desumanidade.

 

3 – Não estou só me expondo ao ridículo e ao risco de magoar e ofender pessoas. Eu rezei umas semanas atrás, certo? E não rezo por qualquer coisa, só rezo por coisas importantes. Pela saúde de pessoas queridas ou importantes pra gente querida, por ajuda em momentos muito turbulentos. Pedi algo que não tem nome, pedi um outro tipo de relacionamento com as pessoas, outras pessoas, ao mesmo tempo estou me arriscando mais, me expondo mais, e hoje recebi este presente aqui:

“Meu namorado (e companheiro na jornada pela natureza), não tem facebook, então pediu que eu repassasse um email que ele me enviou. “Minha eterna companheira e amor, estou escrevendo para você nesse momento, no qual transbordo de tanta FELICIDADE pela sabedoria e entendimento da NATUREZA DA VIDA que compartilhamos. Achei um assunto super interessante no blog da Claudia Komesu, Magia. Por favor meu amor, entre em contato com a Claudia e diga que eu li em especial a parte 7. Fiquei tao emocionado por eu e voce compartilharmos esse mesmo entendimento, sentimentos e conhecimentos da vida, e saber que ela ve isso também. Não vejo a hora de enviar nossas fotos e nos encontrarmos pessoalmente com ela. Sentir essa energia unida e compartilharmos tudo isso juntos. Essa eterna MAGIA DA NATUREZA DA VIDA. FRASE: UM OLHAR QUE SE TRANSFORMA, JAMAIS SERÁ O MESMO.” Ta feito! E devo acrescentar que li a matéria e senti o mesmo que ele. As vezes é bom saber que nao estamos ficando loucos ao despertar pra tudo o que está a nossa volta, e a tudo o que flui. Nao estamos sozinhos, estamos juntos. Um beijo no coração!”

 

É ou não é bonito?

A moça que me mandou a mensagem, conheço só por papear um pouco sobre fotos, ela também gosta de macro, mas não sabia nada mais pessoal. E agora sei. Agora sei de duas pessoas, que terei a oportunidade de encontrar pessoalmente em breve, gente que se sente conectado e que acredita em magia, desse jeito que eu também acredito. Não com fogos de artifício ou mistérios indecifráveis, mas sim como o reconhecimento de algo que é invisível aos olhos, mas que emana da gente, e do mundo, e tece uma teia de luz (ou de trevas) em volta de tudo. Sempre quis conhecer gente assim, me imagino caminhando por trilhas bonitas na companhia dessas pessoas, observando o orvalho, sentindo a luz do sol, descobrindo os insetos invisíveis. E logo vou poder. Porque não tive medo de me expor e falar de mim e falar pro mundo que eu quero algo que não tem nome.

 

A foto da abertura estava num banco de concreto no meio do Death Valley.

 

ps: estava pra publicar este post, e vi popando umas mensagens do Facebook, uma outra mulher que conheci por causa das fotografias de natureza, com quem papeei um pouco, depois a ajudei com algumas informações pra fazer um passeio num lugar que ela queria ir, e vi que agora ela está me mandando umas mensagens muito fofas contando do passeio, como foi legal, e como ela se sente grata.

Eu realmente sinto minhas preces atendidas. Já me sinto vivendo numa sintonia com pessoas mais humanas, mais de verdade, e continuarei sendo corajosa todos os dias em agir pelo o que eu acredito, em tentar ser a mudança que eu quero ver no mundo.

 

E você? Como está sua missão?