Obrigada pela confiança

Na semana passada almocei com uma amiga que não via há anos. Pra falar a verdade, no passado a considerava uma colega querida, não exatamente uma amiga, não que ela não mereça, mas só porque pra mim a palavra amigo tem um significado específico. Acho estranho ouvir as pessoas falando sobre seus amigos, e eu tenho um grau razoável de certeza de que estão falando de colegas, e não de pessoas em que você confia, se sente à vontade, conversa sobre coisas íntimas e importantes, pede ajuda, se preocupa, sente saudade, torce pra que a vida dê certo pra aquela pessoa, xinga e é xingado, os anos passam e você não sente distância.

Depois desse almoço já posso falar sem me preocupar “almocei com uma amiga”.

O prazer de conversar com alguém que está apaixonada, seguindo o coração, sem medo de falar dos sentimentos. Mãe separada, alguém que pode falar “não tenho empregada, faço as unhas na manicure mais baratinha, não tenho nenhuma roupa muito especial, não posso comprar coisas caras, como fora muito de vez em nunca. Mas pago todas as minhas contas, sempre posso pagar a escola do … que pra mim é a prioridade, passei um tempo sem carro, agora voltei a ter. E o mais importante: nunca mais fui obrigada a aguentar gente como o…”.

O … era chefe da …, alguém que capaz de mentir na cara dura e prejudicar a … só pra ganhar um olhar de aprovação do diretor. Eu não sabia dessas histórias, mas na hora que ela falou eu soube que era verdade. Ela contou que na época estava lendo um livro sobre o stalinismo (ela falou o título e eu esqueci), e ficava fazendo paralelos, pensando que dava pra entender como havia gente capaz de denunciar as pessoas sabendo que aquela denúncia levaria à morte, vendo a facilidade com que as pessoas podem mentir só pra ganhar um olhar de aprovação.

Conversamos sobre muitas coisas, mas queria destacar esse pedaço da conversa, porque vai ao encontro dos meus pensamentos pra 2016. Que eu quero cada vez mais distância de mentira, maldade, falsidade.

Que não ter que lidar, ou ter que lidar o mínimo com pessoas com falhas graves de caráter é algo que não tem preço.

A … me falou de tantas coisas importantes. E vou me permitir um tempo de comemoração mental porque acho que esse almoço aconteceu graças ao blog. Não conversávamos há anos, mas daí ela topou com um post meu vendo o Facebook da querida Marcela, começou a ler, me mandou alô, contou que estava adorando, de vez em quando mandava mensagens fofas do tipo “continue escrevendo, acredito que muita gente, como eu, o considera reconfortante e provacativo”, eu falando que a gente precisava se ver mas sem marcar de verdade, até que falei “faz assim: quando puder, me manda uma mensagem dizendo ‘vamos tomar um café na quinta em tal hora’ “, e daí eu desemperro, e foi assim que nos encontramos.

Você é muito querida, pode se sentir orgulhosa todos os dias das escolhas que você tem feito pra sua vida, adorei almoçar com você e espero te ver mais vezes.

 

E continuando na linha de assuntos demodê, como amizades de verdade, banana pro consumismo, bondade, nesses dias me peguei ouvindo de novo alguém que foi tão querido na adolescência e que tem tantas músicas que consigo ouvir até hoje. Especialmente as músicas de um disco que vendeu pouco, mas que tem letras que tenho cantarolado bastante nesses dias.

 

Hoje não dá
Hoje não dá
Não sei mais o que dizer
E nem o que pensar

Hoje não dá
Hoje não dá
A maldade humana agora não tem nome
Hoje não dá

Pegue duas medidas de estupidez
Junte trinta e quatro partes de mentira
Coloque tudo numa forma
Untada previamente
Com promessas não cumpridas
Adicione a seguir o ódio e a inveja
Às dez colheres cheias de burrice
Mexa tudo e misture bem
E não se esqueça: antes de levar ao forno
Temperar com essência de espírito de porco,
Duas xícaras de indiferença
E um tablete e meio de preguiça

Hoje não dá
Hoje não dá
Está um dia tão bonito lá fora
E eu quero brincar

Mas hoje não dá
Hoje não dá
Vou consertar a minha asa quebrada
E descansar

Gostaria de não saber destes crimes atrozes
É todo dia agora e o que vamos fazer?
Quero voar pra bem longe

mas hoje não dá
Não sei o que pensar e nem o que dizer
Só nos sobrou do amor
A falta que ficou

Link: http://www.vagalume.com.br/legiao-urbana/os-anjos-1.html#ixzz3zpdvw9y4

 

(…)
Venha, meu coração está com pressa
Quando a esperança está dispersa
Só a verdade me liberta
Chega de maldade e ilusão.

Venha, o amor tem sempre a porta aberta
E vem chegando a primavera –
Nosso futuro recomeça:
Venha, que o que vem é perfeição

Link: http://www.vagalume.com.br/legiao-urbana/perfeicao-com-trecho-da-musica-ao-vivo.html#ixzz3zpZzE5V0