O Brasil em números. Por que o povo pede o impeachment?

68% apoiam impeachment de Dilma, diz pesquisa Datafolha. Segundo instituto, 27% são contra impedimento da presidente. Avaliação do governo foi ruim ou péssima para 69%.

http://g1.globo.com/politica/noticia/2016/03/68-apoiam-impeachment-de-dilma-diz-pesquisa-datafolha.html

——————–

Amigos, fiz este post nesta madrugada, num momento de insônia. Acho que foi pelo incômodo de ler o texto de uma amiga que dizia

[se houver impeachment] “com um congresso e um senado tão conservadores e pertencentes ao agronegócio, à indústria bélica e a grupos religiosos vai ser bem difícil criar ou manter qualquer iniciativa que beneficie a coletividade, a saúde pública, as minorias étnicas e religiosas, as mulheres, e por aí vai… o país pode não se transformar imediatamente numa ditadura. Mas o acesso aos direitos vai se tornar cada vez mais difícil, principalmente para os mais pobres, os menos escolarizados, os pretos, as mulheres…”

Tenho acompanhado notícias nos últimos tempos, principalmente por causa do feminismo. Lendo sobre os assassinatos de mulheres você também vê os números da violência no geral. Assassinatos de mulheres, de negros, de mulheres negras, de gays, suicídio de crianças, de indígenas, descontentamento geral com SUS, rombo da previdência, tudo subindo.

Alguém me dizer que é a saída da Dilma que vai fazer esses números subirem me tirou o sono.

Eu sei que o Congresso é retrógrado, que apesar de sermos um Estado laico, no Brasil é permitido que questões religiosas interfiram em decisões de políticas. Mas com esses números (abaixo), não dá pra dizer que Dilma tenha conseguido combater com eficácia a violência contra minorias.

Aliás, só imagino o contrário: quanto mais acuada e isolada, mais ela terá que fazer concessões pras bancadas evangélica, agropecuária, bélica.

Se a próxima gestão vai conseguir melhorar esses índices em pouco tempo, não sei, o mais provável é que não. As políticas públicas pra resolverem essas questões precisam de muito investimento, e o país está quebrado. Mas acredito que a médio prazo, combatendo a corrupção, diminuindo a largura dos rios de dinheiro que vão pras contas dos corruptos, melhorando a eficiência da máquina pública, aos poucos vai aparecer o dinheiro necessário para reverter números tão sombrios.

————————–

Por mais que tenha sido marketeado e promovido pela mídia, o descontentamento com o governo de Dilma não é uma invenção da oposição. A grande maioria da população sofre com a crise econômica, teve redução de renda ou no mínimo tem amigos e parentes que foram demitidos.

A campanha pelo impeachment foi turbinada pelas denúncias de corrupção, mas as investigações, prisões, apreensões, repatriamento de dinheiro (e destruição da Petrobras) provam que não eram denúncias infundadas.

Reuni neste post outros números que expressam os motivos pro descontentamento com o país:

– Previsão de inflação para 2016 de 7,6% e retração do PIB em 3,3%

– Desemprego na faixa de 8,7%, chegando a 20% na faixa de 18 a 24 anos

– O Brasil é o país fora de zona de guerra com o maior número de homicídios no mundo. O último número é de 2014, com 58,5 mil assassinatos. Em 2011 foram 49,3 mil assassinatos, sendo que 71,4% das vítimas eram negras

– O Brasil é o quinto país do mundo em que há mais assassinatos de mulheres (2015). Em 2013, éramos o sétimo entre 84 países. O assassinato de negras cresceu 54%, o de brancas diminui 10%.

– Também somos o país que mais mata travestis e transexuais

– Em 2014 houve 314 assassinatos de gays, ou seja, um a cada 28 horas

– Em 2014 o assassinato de indígenas aumentou 42%

–  De 2002 a 2012 houve um crescimento de 40% da taxa de suicídio entre crianças e pré-adolescentes com idade entre 10 e 14 anos. Na faixa etária de 15 a 19 anos, o aumento foi de 33,5%.

– Conseguimos o 60º lugar, entre 76 países, no ranking 2015 de educação, feito pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE)

– Somos o país campeão em quantidade de ministérios, num ranking de 50 nações. Entre 2003 e 2013, o número de servidores públicos no governo federal subiu 28%, de 456 mil servidores para quase 600 mil.

– O déficit da previdência social é de R$ 50 bilhões, e só vai aumentar

– Os serviços públicos e privados de saúde no Brasil são considerados regulares, ruins ou péssimos por 93% da população

– Em três décadas, e mais intensamente entre 2008 e 2012, as Unidades de Conservação perderam 5,2 milhões de hectares – uma área maior do que o estado do Rio de Janeiro.

– Nas áreas da Amazônia que têm proteção legal reduzida, cinco anos após essa mudança de status o desmatamento aumentou 50%.  Entre ampliações, reduções e revogações, houve perda líquida de 2,5 milhões de hectares em 38 Áreas protegidas.

Sem falar dos escândalos de corrupção.

 

Meu amigo Clauber Reis juntou outros números sobre o governo:

Chefe de Divisão de Avaliação e Controle de Programas, da Coordenação dos Programas de Geração de Emprego e Renda –  isso é um nome de um dos 103.313 cargos de chefia e confiança da União Federal.

Como não são concursados, a média salarial é de R$ 77 mil, mais 37 bonificações diferentes mais índice de desempenho.

100 bilhões foram os gastos salarias da União em 2015, descontadas as 142 Estatais

São 49.500 áreas administrativas. Subdivididas em 53.000 “núcleos responsáveis por politicas públicas ”

Emitem-se 520 novos regulamentos/dia em média.

Uma decisão sobre “água” pode passar por 134 órgãos diferentes.

Saúde Pública envolve 1.385 instancias de decisão, Segurança Pública 2.375.

Desde a Constituição de 1988 foram criadas mais de 4 milhões de leis e regulamentos .

Em queda livre, tendo balanço negado pela CVM, impossibilitada de pagar dividendos, a Petrobras distribuiu 1 bilhão em benefícios ao seu clero. A EletroNorte 2,2 Bilhões. Teve embolso que chegou a R$ 152 mil.

E ainda tem gente querendo mais Estado na vida ainda :<”

 

Fontes

“O Brasil é o país com o maior número de homicídios no mundo, segundo um relatório divulgado nesta quarta-feira (10) pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em Genebra. De cada 100 assassinatos no mundo, 13 são no Brasil.”

http://g1.globo.com/globo-news/noticia/2014/12/brasil-tem-o-maior-numero-absoluto-de-homicidios-do-mundo-diz-oms.html

 

“Dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde apontam que 71,4% das 49,3 mil vítimas de homicídios em 2011 eram negras – o que corresponde a 35,2 mil assassinatos.

Ambos os números foram os maiores registrados desde 2002. Há 12 anos, por exemplo, morriam 42,9% mais negros do que brancos. Em 2010, esse número já havia atingido 149%. O valor máximo até o momento, de 153,4%, também foi o último registrado, em 2011.

A “mortalidade seletiva”, conforme classifica o estudo, é observada pela diminuição de homicídios de brancos e crescimento de homicídios de negros. Novamente comparando os anos de 2002 e 2011, o número total de vítimas pretas ou pardas subiu de 26,9 mil para 35,2 mil. Paralelamente, as vítimas brancas reduziram de 18,8 mil para 13,8 mil.”

http://noticias.terra.com.br/brasil/homicidios-no-brasil-714-das-vitimas-sao-negras,6e8009c39f0f5410VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html

 

“Mais mulheres são assassinadas por ano no Brasil do que na Síria. Entre 84 países, Brasil é o quinto onde mais se mata mulheres

Brasil é o quinto país do mundo onde mais se matam mulheres. Atrás apenas de Rússia, Guatemala, Colômbia e El Salvador (…). Para efeito de comparação, a Argentina ocupa a 28ª colocação (1,4 mortas por 100.000), e a Síria – que sofre há anos com os efeitos de uma guerra civil – está em 64º (0,4 mortas por 100.000). Em relação à edição de 2013 do relatório, que também abordou violência de gênero, houve uma piora nos índices do Brasil: anteriormente ocupava a 7ª colocação entre 84 países, com uma taxa de 4,4 mulheres mortas por 100.000.

O relatório destaca ainda o crescimento das taxas em Roraima, que passou de 3,4 mortes por 100.000 em 2003 para 15,3 em 2013, um incremento do 345%. Ainda assim, o Espírito Santo é o recordista em homicídios de mulheres, com 8,6 casos por 100.000.”

http://brasil.elpais.com/brasil/2015/11/06/politica/1446826193_178862.html

 

“Morte de mulheres negras dispara com falta de amparo na periferia. Assassinato de negras cresceu 54%, enquanto que o de brancas diminui 10%”

http://brasil.elpais.com/brasil/2015/11/06/politica/1446816654_549295.html?rel=mas

 

“O Brasil é o país que mais mata travestis e transexuais no mundo. Entre janeiro de 2008 e março de 2014, foram registradas 604 mortes no país, segundo pesquisa da organização não governamental (ONG) Transgender Europe (TGEU), rede europeia de organizações que apoiam os direitos da população transgênero.

“Foram reportadas 27,34 violações de direitos humanos de caráter homofóbico por dia. A cada dia, durante o ano de 2012, 13,29 pessoas foram vítimas de violência homofóbica”, diz o documento.”

http://agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2015-11/com-600-mortes-em-seis-anos-brasil-e-o-que-mais-mata-travestis-e

 

“De acordo com o último Relatório Anual de Assassinato de Homossexuais no Brasil divulgado pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), no ano passado, foram registrados 312 assassinatos de gays, travestis e lésbicas, que representam a morte de uma pessoa a cada 28 horas”. (17/10/2014)

http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/defensoria-do-rio-discute-aumento-de-violencia-contra-gays

 

“Os assassinatos de indígenas no Brasil aumentaram 42% no ano passado e os suicídios atingiram um recorde em três décadas, em meio a “um aprofundamento do processo de violência e de violações contra as pessoas e seus direitos”.

Sistematizado a partir de denúncias e informações compiladas pelo Conselho Indigenista Missionário (CIMI), o estudo observa que durante 2014 os homicídios saltaram para 138 casos e a taxa de suicídios subiu para o maior número em 29 anos, com 135 registros”. (jun/2015)

http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/aumentam-assassinatos-e-suicidios-entre-indigenas-no-brasil-diz-relatorio,5ba104283c4efb03629d834129e18a3a78nuRCRD.html

 

“Dados do Mapa da Violência, do Ministério da Saúde, revelam que ele existe e está crescendo. De 2002 a 2012 houve um crescimento de 40% da taxa de suicídio entre crianças e pré-adolescentes com idade entre 10 e 14 anos. Na faixa etária de 15 a 19 anos, o aumento foi de 33,5%.”

http://saude.ig.com.br/minhasaude/2014-09-10/em-dez-anos-suicidio-de-criancas-e-pre-adolescentes-cresceu-40-no-brasil.html

 

“Desemprego de jovens chega a 20% no Brasil, de acordo com o IBGE. São 90 mil pessoas, entre 18 e 24 anos, sem emprego no país. Metade só em São Paulo”

http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/economia/2016/03/23/internas_economia,634581/desemprego-de-jovens-chega-a-20-no-brasil-de-acordo-com-o-ibge.shtml

 

“No Brasil, desemprego afeta jovens, mulheres e profissionais com menos escolaridade, aponta CEPAL”

https://nacoesunidas.org/no-brasil-desemprego-afeta-jovens-mulheres-e-profissionais-com-menos-escolaridade-aponta-cepal/

 

“O Brasil é o 60º colocado entre 76 países listados no mais recente ranking de educação da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), divulgado nesta quarta-feira 13 em Paris.” (mai/2015)

http://www.cartacapital.com.br/educacao/brasil-e-60o-de-76-paises-em-ranking-de-educacao-8400.html

 

“Desemprego chega a 8,2% e tem a maior taxa para fevereiro desde 2009

A população desocupada cresceu 7,2% em relação a janeiro e alcançou 2 milhões de pessoas. Já na comparação com o mesmo mês de 2015, o aumento foi ainda maior, de 39%.

A remuneração dos ocupados também recuou. O rendimento médio dos trabalhadores foi estimado em R$ 2.227,50 – valor 1,5% abaixo do indicado em janeiro e 7,5%  inferior a um ano atrás.”

http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/03/desemprego-fica-em-82-em-fevereiro-mostra-ibge.html

 

“Entre 2003 e 2013, o número de servidores públicos no governo federal subiu 28%, de 456 mil servidores para quase 600 mil. A quantidade de cadeiras de ministros também aumentou — e hoje é recorde, fazendo do Brasil o país com mais pastas num ranking das 50 nações com as maiores economias.

(…) de 1999 a 2013, o número de comissionados foi de 16,6 mil para cerca de 23 mil, um aumento de 38%.

O que mais cresceu foram as faixas superiores dos cargos DAS (Direção e Assessoramento Superiores, conhecidos como comissionados ou de confiança)”

http://oglobo.globo.com/brasil/funcionalismo-publico-no-governo-federal-aumenta-28-em-dez-anos-17354629#ixzz43ntM2ZpN

 

“Pode-se afirmar que a Previdência Social vem sendo sistematicamente assaltada, saqueada, rapinada. Seu déficit é hoje enorme, fechou 2014 em R$ 50 bilhões, segundo informação do Ministério da Previdência Social. Isso é irrecuperável, sabendo-se que a PS paga mais do que arrecada, pois sequer leva em conta a progressão da perspectiva da vida dos brasileiros, que de 60 anos passou para 74,9 anos, de acordo com dados do IBGE.”

http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/a-insanavel-situacao-da-previdencia-social/

 

“Os serviços públicos e privados de saúde no Brasil são considerados regulares, ruins ou péssimos por 93% da população. É o que indica pesquisa do Instituto Datafolha feita a pedido do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Paulista de Medicina (APM). O levantamento mostra que os principais problemas enfrentados pelo setor incluem filas de espera, acesso aos serviços públicos e gestão de recursos”.

http://www.ebc.com.br/noticias/brasil/2014/08/mais-de-90-dos-brasileiros-estao-insatisfeitos-com-saude-publica-e-privada

 

“No Brasil, a duração do status de uma área protegida, ou Unidade de Conservação, no jargão do ramo, pode ser passageiro. (…)  Em três décadas (31 anos), foram realizadas 93 alterações em Unidades de Conservação localizadas em 16 estados brasileiros, o que fez com que elas perdessem 5,2 milhões de hectares, uma área maior do que o estado do Rio de Janeiro.

O estudo foi publicado nesta quarta-feira, 23/4, na revista científica Conservation Biology. Ele indica que o fenômeno está se intensificando. “A partir de 2008, essas alterações se tornaram mais frequentes, sendo que 74% delas ocorreram entre 2008 e 2012”

http://www.oeco.org.br/noticias/28238-brasil-perdeu-5-2-milhoes-de-hectares-de-unidades-de-conservacao/

 

“Estudo lançado hoje pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia – Imazon aponta que áreas que perderam ou tiveram a proteção legal reduzida apresentam aumento de desmatamento. Para isso, o estudo avaliou dez das 40 áreas que sofreram alteração entre 1995 e 2013 pelo governo federal e pelos governos estaduais de Rondônia, Mato Grosso e Pará. Resultado: cinco anos após a redução, o desmatamento aumentou em média 50% em comparação com os cinco anos anteriores à perda de proteção.

Entre ampliações, reduções e revogações, o balanço final foi a perda líquida de 2,5 milhões de hectares em 38 Áreas protegidas. As principais justificativas foram ocupações, em 74% dos casos, e instalação de projetos hidrelétricos, em 42%. A construção de hidrelétricas e estradas, além de políticas que facilitam a ocupação ilegal de terras públicas na região sugerem que novas alterações podem ocorrer, o que aumenta ainda mais o risco de desmatamento em Áreas Protegidas (APs).”

http://amazonia.org.br/2014/02/estudo-comprova-redu%C3%A7%C3%A3o-de-%C3%A1reas-protegidas-favorece-desmatamento-na-amaz%C3%B4nia/

 

Levantamento divulgado nesta terça-feira (31) pelo portal InfoAmazônia apontou que no primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff houve queda de 72% no investimento em medidas de combate e prevenção ao desmatamento na Amazônia.

http://g1.globo.com/natureza/noticia/2015/03/governo-dilma-reduziu-em-72-verba-de-protecao-amazonia-diz-estudo.html

 

O impeachment é um instrumento legal e legítimo nas melhores democracias e se aplica aos governantes que cometam crimes de responsabilidade – isto é, que, no exercício do poder, adotem condutas que atentem contra a Constituição e, entre outros motivos, atentem também contra a probidade administrativa. Assim, não poderá ser visto como golpe se for proposto o impeachment da presidente se ficar provado que ela sabia, se beneficiou ou nada fez para conter a corrupção no seio do governo.

http://www.gazetadopovo.com.br/opiniao/editoriais/impeachment-nao-e-golpismo-eh284arjqmq8rk1g0ear4tiku

 

 

“– Quero dizer a quem tem sua vida ligada à Petrobras que a empresa está de pé. Limpou o que tinha de limpar. Tirou aqueles que se aproveitaram dela para enriquecer seus próprios bolsos. Vocês podem ter certeza de uma coisa: a Petrobras não só já deu a volta por cima como hoje mostrou a que veio – disse Dilma.” (abr/2015)

http://www.dm.com.br/politica/2015/04/dilma-rousseff-petrobras-ja-limpou-o-que-tinha-que-limpar.html

“Petrobras registra prejuízo recorde de R$ 34,836 bilhões em 2015. A dívida líquida da Petrobras subiu em 2015 e tornou a petroleira a segunda empresa de capital aberto mais endividada da América Latina e Estados Unidos. No final de 2014, o endividamento líquido total era de R$ 282 bilhões, passando para R$ 402,3 bilhões no final de setembro.” (mar/2016)

http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2016/03/petrobras-registra-prejuizo-de-r-34836-bilhoes-em-2015.html
“O meu governo não está envolvido em nenhum escândalo de corrupção. Não é o meu governo que está sendo acusado atualmente” (Dilma – out/2015)

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/10/meu-governo-nao-esta-envolvido-em-escandalo-de-corrupcao-diz-dilma.html