Não é uma questão de ter sido abordado ou não por um segurança

Atualização 12/jul/15: o presidente do ICMBio, Cláudio Maretti, criou um post no Facebook dele para conversar sobre o assunto. Aqui o link pro post, e minhas opiniões sobre o teor das nossas mensagens pra ele: http://claudiakomesu.club/o-que-escrever-para-claudio-maretti/

A questão não é só de ter tido o azar de ser abordado por um segurança ou não. A maioria das pessoas com compacta não é abordada, e acho que a maioria das pessoas com DSLR é abordada, seja birdwatching ou não, especialmente se for em parques urbanos.

O problema é o vexame, a vergonha e o absurdo da situação. Somos o país com a maior biodiversidade do planeta! Somos o país com a maior quantidade de espécies de aves, mais de 1.900! Quantas pessoas sabem disso? Como isso se reflete na nossa cultura, no conhecimento da população, na imagem que o mundo tem de nós.

Entra nos sites da Livraria Cultura, na Amazon, na Blurb (um site de auto-publicações). Tenta achar livros sobre natureza brasileira. Veja quantos documentários sobre a natureza brasileira têm no Youtube.

Que haja uma orientação federal pra manter a natureza na surdina, e assim fica mais fácil ir desmantelando as Unidades de Conservação, que é o que tem acontecido nos últimos 30 anos, principalmente a partir de 2008 (5,2 milhões de hectares), eu entendo. Eu entendo que pecuaristas, mineradores, madeireiras, empreiteiras, que eles mandam nos deputados e no país. Eu entendo que eles são a grande besta, absurdamente poderosos, e que nunca vamos conseguir brigar de frente com eles.

Mas o que me deixa totalmente revoltada é que ICMBio e Fundação Florestal caiam nesse papinho e não enxerguem que essa postura de inibir, proibir, taxar e controlar só contribui para esse cenário dantesco de Unidades de Conservação deixando de ser unidades de conservação.

Eu sei que ICMBIo e Fundação Florestal podem ter alguns infiltrados, mas tenho certeza de que a maioria dos funcionários são pessoas boas, honestas, e que realmente se preocupam com a natureza. Vocês podem mudar esse cenário! Só a opinião pública é capaz de exercer pressão contra a destruição da natureza. E só a divulgação por meio de fotos e burbinho nas redes sociais é capaz de acionar a opinião pública pra um assunto que não é espalhafatoso o suficiente pra virar manchete por si só.

Se o ICMBio e a Fundação Florestal não mudarem sua política, não passarem a incentivar a divulgação em vez de querer taxar e controlar, continuaremos vendo as Unidades de Conservação encolhendo ano a ano. Já perdemos 5,2 milhões de hectares. Já temos essa situação de verbas pros parques diminuindo ano a ano, de esforços para diminuir a ação da polícia ambiental, de palmiteiros e caçadores agindo à vontade. Quanto mais teremos que perder antes dos órgãos que deveriam proteger a natureza reconheçam que é preciso tratar o cidadão como aliado e não como infrator por princípio?

A ajuda não virá do Governo. O Governo não tem nenhum interesse em valorizar e proteger a natureza, pelo contrário, há cada vez mais deputados que defendem a diminuição das áreas naturais, a diminuição do rigor na fiscalização.

Só a população pode ajudar. Nós sabemos que a situação é grave, nós temos como fotografar, registrar, repercutir em nossas redes sociais, ter iniciativas pessoais de divulgação. Mas só podemos fazer isso se vocês passarem a nos tratar como gente, em vez de manter essa mentalidade de controle total, formulários e taxas.

Cobrem taxas de uma empresa grande que queira gravar um comercial. Incentivem e se aliem aos fotógrafos, amadores e profissionais, cujo trabalho aumenta a visibilidade e importância do parque.