Macaco-prego-galego em Baía Formosa – Rio Grande do Norte

Em Baía Formosa – RN, uma área de Mata Atlântica que o Pedro Vitor conhecia. Ele já tinha nos avisado que era comum topar com macacos-pregos-galegos, mas que eles eram ariscos.

Não dessa vez!
(esse ponto de exclamação é minha homenagem ao Hoje não, ebola! Infame, eu sei)

Dessa vez eles se permitiram ser observados e fotografados. Não as mães com filhotes, essas se afastaram. Mas o que parecia ser o macho alfa, alguns jovens, e outros que pareciam ser fêmeas passaram um bom tempo na nossa frente, se alimentando de uns coquinhos. Antes de comer, eles batiam o fruto contra os troncos.

Vi este vídeo, que mostra eles fazendo a mesma coisa com espigas de milho: http://g1.globo.com/natureza/videos/v/globo-natureza-macaco-prego-galego/4271484/

O vídeo também diz que essa espécie não era vista há 200 anos, e foi redescoberta há poucos anos. Sobrevive nos fragmentos de Mata Atlântica do Nordeste, entre as plantações (foi o que vimos também, esse fragmento de mata ficava ao lado de uma plantação de cana. O legal é que os macacos também comem a cana, e havia vários bagaços de cana no alto das árvores).

Lindo demais. Sem contar as diversões no Kruger, foi minha melhor oportunidade de observar primatas.