John Singer Sargent

O Sargent. Quanto mais olho, mais penso que atualmente é meu artista favorito. Já fui bem fascinada pelo Klimt, Munch, Schiele, Hopper. E Sorolla é muito bom, mas o Sargent tem um quê hipnotizante, graças a sua fase de retratos destruidores-de-amizades e com olhares tão intensos.

Acho que é isso que me atrai tanto agora. Essa capacidade de retratar as pessoas. Que faz transparecer poses tão humanas. Personalidade. Orgulho. Vaidade. Arrogância. Bondade. Ingenuidade. Malícia. Sensualidade. E todo mundo percebia, é claro.

“Every time I paint a portrait I lose a friend”.

Queria conseguir fotografar gente do jeito que o Sargent pintava retratos (mas sem a parte de perder os amigos). Colo aqui umas notas, que demonstram a consciência dele da técnica, e que explicam em parte as pinturas:

Sargent’s Notes

     1.   Painting is an interpretation of tone. Colour drawn with a brush.

    2.   Keep the planes free and simple, drawing a full brush down the whole contour of a cheek.

     3.   Always paint one thing into another and not side by side until they touch.

     4.   The thicker your paint—the more your color flows.

     5.  Simplify, omit all but the most essential elements—values, especially the values. You must clarify the values.

     6.  The secret of painting is in the half tone of each plane, in economizing the accents and in the handling of the lights.

     7.  You begin with the middle tones and work up from it . . . so that you deal last with your lightest lights and darkest darks, you avoid false accents.

      8.  Paint in all the half tones and the generalized passages quite thick.

     9.  It is impossible for a painter to try to repaint a head where the understructure was wrong.

http://keenewilson.com/page/2947/john-singer-sargents-painting-techniques

Uma seleção dos tais retratos

 

Exemplos de outras obras lindas

 

Um desenho a carvão do Yeats!

william-butler-yeats-1908

 

Um dos quadros mais famosos dele é o Madame X, hoje no Metropolitan. Ficavam dizendo que o quadro, de 1884, causou muito porque tinha uma alcinha de vestido escorregando pelo ombro, e eu não conseguia enxergar a tal alcinha. Depois descobri que criticaram tanto que ele repintou a alça. E encontrei algo que mostrava a imagem original. As coisas que eram motivo de escândalo no passado…

madame-x_antes-depois

 

Auto-retrato

Sargent,_John_SInger_(1856-1925)_-_Self-Portrait_1907

Capricorniano do mesmo dia que eu. A meu ver, um retrato que expressa bastante do orgulho caprino de quem se sabe (ou pelo menos se acha) muito bom. Estranho pensar por que os amigos se ofendiam com os retratos.

— x —- x

Ainda sob o tema de bons retratos, vou compartilhar aqui um cartaz que adorei. Festival de Primavera de Sevilha, o cartaz de 2013. Vi num boteco na viagem de 2015, fui até pesquisar sobre o assunto, infelizmente os outros cartazes não são tão bons. Bonitos, mas esse se destaca pela intensidade do olhar da moça, o movimento do braço como se fosse o registro de algo fugaz, não a pose para um retrato. Uma imagem que realmente prende o olhar. E foi legal achar essa foto da apresentação do cartaz, com a presença da modelo. Uma moça bem bonita, mas o que traz a distinção à pintura é a habilidade do artista em transferir essa aura pensativa e de efêmero.

cartelferia