Inseguranças masculinas

eu achava que era isso mesmo que estava acontecendo com você. sabe por que? porque você disse que está sozinho e meio desiludido por não ter encontrado ninguém, então pensei “ainda não conseguiu resolver o suficiente o quartinho fedorento“, porque no dia que você conseguir, vai chover mulher na sua horta. Quer dizer, não sei o quanto vai ser fácil logo chegar nos 10 ou 1% que valem a pena, mas sim que vai ser muito mais fácil ter o primeiro momento, seja a coincidência, ou um primeiro passeio.

Sabe que eu não sou metida, mas posso te falar: eu resolvi meus principais quartinhos fedorentos, e tenho certeza de que eu conheceria gente legal quando eu quisesse, porque é o que tem acontecido comigo. Adoro ficar na torre, mas quando saio, é fácil conhecer gente legal, às vezes até por acaso, mesmo quando não estou procurando. Nunca é com interesse romântico porque tenho o Cris, mas se não tivesse o Cris eu tenho certeza que encontraria fácil namoricos. E tenho certeza que você também pode, que é o que vai acontecer assim que você conseguir vencer um pouco mais essa ala fétida.

O que você acha que tem que oferecer? Você diz que não é só na questão do dinheiro, que você fica se diminuindo. Qual é a insegurança? Por que você acha que tem que oferecer alguma coisa? Imagino que você está falando de coisas materiais? Sabe que a sedução via presentes ou exibição de habilidades construtivas ou de força é comum no mundo animal, mas é isso, é algo no nível animal. Mulher que precisa de presentes ou alguma exibição de habilidade pra ter um relacionamento não está muito evoluída no quesito ser humano, e você não devia se preocupar com essas.

Pra ficar claro: não acho que é errado a mulher ficar impressionada com algo material do cara, como um carrão, sentir tesão e querer ter uma noite de sexo. Ou tesão porque o cara foi o campeão de alguma coisa. Ok. O mecanismo do desejo sexual é complexo e diversificado. Mas estamos falando de outra coisa, certo? Você não está procurando uma noite de sexo, você está procurando uma garota legal pra se relacionar, e nesses casos não basta um momento de tesão motivado por sei lá o quê. Vai importar quem vocês são de verdade, e quem você é de verdade não depende da sua conta bancária, de ter ou não ter carro ou da marca do seu carro. Só o que importa é seu caráter.

O que podem ser as outras inseguranças além da encanação de não ser rico?

– Ser muito magro e não ter um monte de músculos? Já te falei, se a mulher precisa que você tenha um determinado formato físico pra gostar de você, descarta. E como falo sempre, não é que aparência não importa, claro que importa, julgamos o tempo todo. Mas se a pessoa olha pra você e só consegue ver que você tem essas gordurinhas aqui, ou é muito magro ali, ou não tem o bíceps do jeito tal, essa pessoa não serve pra você, ela não consegue olhar pra você como pessoa, só pra sua casca, descarte essa pessoa.

– Não ter vivência internacional? Descarta também. Que tipo de gente acha que alguém é menos gente porque não viajou pra outros países.

– Cultura? Bagagem literária, formação escolar, conhecimentos sobre economia e política, gastronomia, esse tipo de coisa? Bobagem. Eu falei que fazia pré-triagem de gostos culturais dos caras que eu ia encontrar, mas era só porque tinha um monte pra escolher, mas de verdade? Não importa de fato. Ninguém precisa ter match cultural pra formar um casal. Todo mundo tem amigos, ou então encontra em grupos, fóruns, gente com quem conversar sobre livros, história, política, se isso for importante pra pessoa. Seu namorado não precisa. A não ser que você seja alguém pra quem essas questões são muito importantes… se a mulher for muito politizada e militante, por exemplo. Mas provavelmente aí vocês também não vão dar muito certo. Nos outros casos, nenhuma pessoa que presta vai te desprezar porque você não tem conhecimento sobre alguma coisa. Se for algo que ela considere importante, ela pode até pensar em te ensinar, te ajudar a aprender sobre algo, mas se ela te desprezar porque você não tem paladar pra vinho, porque não conhece os autores tais, porque tem falhas grandes em conhecimentos gerais… essa pessoa é uma elitista metida cabeça-de-bagre, e não te merece.

– Habilidades sexuais? Tamanho do pênis? Capacidade de fazer ela gozar? Se a mulher acha que você tem que obrigação de ser uma máquina de prazer, descarte-a também. Você não é um objeto, um robô, um fetiche. Você é uma pessoa, e se vocês gostarem um do outro, vão descobrir o prazer juntos.

Você tem que resolver esse quartinho fedorento. Ele já passou tempo demais contaminando sua vida. Ele age como uma falha-base, ele faz você se sabotar em tudo. Você não consegue enxergar  quem se interessa por você, ou atrair as pessoas legais, ou fazer divulgação de você nas redes sociais, ou ir pra aplicativos, porque você olha pra você e bate a insegurança.

E vai ter que tirar mais selfies e fotos com gente querida de um jeito que você aparece bem. Sem preguiça. É missão, você precisa ter fotos boas, isso te ajuda internamente a construir sua auto-imagem. Não tô bem no meu post de ruiva descabelada de 41 anos? Nas minhas fotos na página “Eu”? Você acha que eu sou fotogênica? De jeito nenhum, o mais comum é eu sair péssima nas fotos. Mas o negócio é volume, seleção. E ajuda tirar as fotos sob luz natural, testar ângulos do rosto, de preferência nos dias que você está se sentindo bem, ou quando está na companhia de gente querida.

Ter fotos boas de si parece uma tarefa absolutamente banal, não? E que você não conseguiu cumprir até hoje. Porque seu quartinho fedorento continua grande demais. Você vai trabalhar nele todos os dias. Se quiser, me escreva todas as semanas, ou mais até se bater crise, me conte das suas inseguranças, eu vou te responder por que é errado o que você está pensando, e quem sabe isso te ajude a combater o monstro.