Eu era um bêbado e vivia drogado hoje estou curado encontrei Jesus

Depois de ter passado meses brigando com meus colegas birdwatchers, e ter visto coisas que eu nunca imaginei ver, mentira, desonra, jogo sujo, as coisas tinham chegado a um ponto de estragar minha relação com o birdwatching. Fui pra Campos do Jordão no final do ano e nem me dispus a sair pra passarinhar na chuva, algo que eu sempre faço.

Pensava em passarinhar e não vinha mais aquele calor de sol morno no peito. Tinha um ranço amargo, não conseguia deixar de pensar nos meus colegas desonrados, e depois em atitudes de um gestor de parque que me deixou surtada de tanta raiva.

Mas agora passou. Passou, desapareceu.

Estou mexendo ainda nas fotos de Ouro Preto, especialmente as do cauré e do gavião-de-rabo-branco melânico, e tudo que eu sinto é alegria, orgulho, vontade de passarinhar mais, ver mais, fotografar mais. E olha que hoje meu dia começou tendo que ouvir de um amigo mais tranqueiras que o tal gestor desonrado está aprontando. Fiquei muito brava na hora, mas isso não foi o suficiente pra voltar a foder minha relação com as aves.

Aves. Passarinhar. Ver bichos lindos. Voltou a alegria sem tamanho.

Não sei dizer o que curou. Acho que o tempo. Ou talvez ajuda de alguma entidade, não sei. Tudo que eu posso falar é obrigada, obrigada, obrigada. Como é delicioso voltar a se sentir encantada.