Critérios de seleção de romances – e talvez de pessoas

É insuportável obras em que os personagens são chatos. Por mais engenhoso que seja o enredo, por melhor que o autor escreva, se os personagens são chatos simplesmente não dá.

Não tenho como ceder meu tempo à intelectualidade de um autor que considera o charme dos personagens um aspecto menor.

Perder meu tempo em acompanhar um trecho da vida de personagens que não são gente? Personagens que fazem coisas totalmente estúpidas previsíveis, gente que não terá transcendência nem felicidade?

Não, sem masoquismo.

Não me identifico com personagens pequenos, fracos, estúpidos, falhos, medíocres. Só leio obras e só me interesso por filmes em que o personagem tem pelo menos um aspecto dele em que é sublime, inspirador, maravilhoso. Gosto de personagens e de gente que tem gana, sangue, fogo. Não precisa ser perfeito, de jeito nenhum. Mas se não tiver algum lugar em que a personagem ou pessoa é profunda ou ampla ou invejável ou admirável, não me fisga.

E digo mais.

Desconfio profundamente de gente que suporta livros e filmes com personagens chinfrins. Acho que gente capaz disso no fundo também se sente chinfrim.