Como conhecer pessoas legais – especial para misantropos

Parte 1 – Você tem que aceitar de verdade, do fundo do coração, que mesmo sendo misantropo você precisa se relacionar com outras pessoas

Lembre-se: ser misantropo não significa não se relacionar com pessoas, e sim ser bem seletivo sobre com quem você quer passar seu tempo.

Todo mundo precisa de companhia, de amigos, de amor. Tudo bem que a gente se diverte muito sozinho, mais do que isso, ficar sozinho faz parte da nossa sanidade mental. Mas ninguém pode passar o tempo todo sozinho e digo mais: quanto mais jovem você for, menos direito você tem de ficar muito tempo sozinho.

Eu tenho 40 anos, sou casada há mais de 10, me aposentei aos 35, tenho alguns amigos queridíssimos desses pra quem eu poderia ligar às 4h da manhã, tenho a fotografia de natureza e sua divulgação como uma vocação, não tenho angústias sobre quem eu sou e se estou vivendo bem minha vida. Eu posso passar bastante tempo sozinha.

Você não.

Provavelmente você é mais jovem do que eu, alguns bem mais jovens, com metade da minha idade, e provavelmente você tem alguma insatisfação na sua vida, ou não teria achado meu blog. Querido misantropo, sinto em lhe dizer isso, mas você ainda não ganhou o ticket dourado. Você ainda não tem o direito de ficar bastante tempo sozinho. Você tem que ir pra rua, conhecer pessoas, encontrar o seu sentido, a sua alegria.

Adoramos ficar em casa sossegados. Mas não é aqui que a mágica acontece. Não, não, mesmo que você tenha encontrado o amor da sua vida num chat, você só teve certeza disso ao vê-lo ao vivo, depois de vários encontros com ele. Ou seja, precisou de interação, precisou sair. E podemos ter ótimos amigos de internet, gente em quem você confia e consegue conversar melhor do que com várias pessoas que você vê ao vivo – mas não se compara a poder ver a pessoa, sair pra passear com a pessoa.

Somos misantropos. Mas também somos seres humanos, e mamíferos. A gente precisa de contato humano. Olhar, tocar, sorrir, abraçar e ser abraçado, poder falar pra alguém que sentiu saudade, e ouvir da pessoa o quanto ela também gosta de você. Isso faz uma diferença enorme na vida.

É totalmente permitido não estar a procura de um namorado, grande amor, ninguém precisa ter isso como eixo da vida – ainda que um parceiro preencha vários vazios. Eu concordo que não há nada de errado em ser solteiro ou solteira.

Mas todos precisam de companhia, de contato com gente legal.

Estou aqui martelando algo tão banal porque se você não acreditar de verdade que deveria conhecer pessoas, é improvável conhecer alguém que valha a pena. É preciso ter no coração, como uma certeza, como um fato, ou você estará se sabotando, vibrando na energia errada, fadado ao fracasso mesmo antes de começar.

Se você não acreditar do fundo do coração, que sua vida pode até não ser ruim, mas que só será espetacular na companhia de pessoas legais, então pode parar de ler o post aqui.

 

Parte 2 – Ok, você me convenceu, eu reconheço que minha vida tem vários momentos de vazio, tédio, e que eu fico pensando como seria se tivesse mais pessoas legais na minha vida – seja amigos ou um namorado

Muito bem. Como é que você está, por dentro e na aparência? Como está sua auto-confiança, seu conhecimento sobre você, você sabe por que você é uma pessoa incrível? E os quartinhos fedorentos, está cuidando deles? Sua imagem está boa, se você fosse um desconhecido você olharia pra você e se interessaria por você?

Se você não tirou notas altas nas perguntas anteriores, mude isso.

Confiança sobre quem você é uma aparência agradável aumentam mil vezes a chance de você conhecer gente legal. Já insegurança e timidez, ou ansiedade e carência, aparência desleixada, de quem não se gosta, diminuem mil vezes as chances de conhecer gente legal. Você cuida bem da sua alimentação? Se você quer emagrecer, sabia que que na maioria dos casos não depende de ter tempo de malhar quatro vezes por semana, e sim sua disciplina na hora de comer?

Se você não está bem por dentro e por fora, mude isso. E sempre lembrando que aparência agradável não é padrão de beleza, não é ser magra com cabelo liso e comprido, não é ser um cara saradão.

Você pode ir pra Parte 3 mesmo que não esteja muito bem na Parte 2. É só ter consciência de que quanto mais você estiver fortalecido na Parte 2, em se conhecer, gostar de você, cuidar de você, mais fácil serão as etapas posteriores.

 

Parte 3 – Disponha-se a conhecer gente, mate sua timidez, aprenda a puxar papo com desconhecidos, seja ativo em redes sociais

1 – Se você for tímido, combata isso. Tem várias dicas aqui. A timidez atrapalha muito a vida. Veja: uma coisa é ser quieto, reservado, low profile, misantropo. Tudo bem, isso é personalidade. Outra bem diferente é não agir por medo de ser julgado, por medo de não saber lidar com uma situação. Isso é timidez e precisa ser combatida, porque diminui as chances de viver feliz.

2 – Você vai usar as redes sociais a seu favor. Procure redes sociais com assuntos do seu interesse e converse com as pessoas. Exponha-se no Facebook: você vai postar fotos em que você saiu bem, você vai falar de assuntos interessantes, vai fazer comentários inteligentes, espirituosos, engraçados, gentis, ou o que você acha que representam você e que tenham chances baixas de serem mal interpretados.

Se você está no modo procurar um parceiro, de vez em quando você vai mencionar que está solteiro e por que será que é tão difícil encontrar um cara ou uma menina que (e você menciona algumas poucas características).

Por exemplo, se fosse comigo, eu falaria algo como “Por que é tão difícil encontrar homens bacanas, solteiros, que gostam de passarinhar mas não são fissurados por lifers, que têm visão pra beleza do mundo, com interesse por artes, fotografia, que se importam com o meio ambiente? Sem querer ofender ninguém, conheço vários caras legais – mas são todos comprometidos. Meus amigos dizem que estou querendo muita coisa, que encontrar homem solteiro hetero já é difícil, ainda fico querendo essas firulas de visão estética, consciência ambiental, que assim nunca vou namorar ninguém”.

Pronto. Lancei minha garrafinha no mar e estou aumentando a chance de ser lida por alguém que se interesse por mim. Se você está procurando alguém, você devia dizer isso pro mundo de forma inteligente.

Escolha bem o que você vai falar. Talvez você até quisesse que o cara fosse um loiro alto musculoso rico taradão (ou o equivalente feminino) – mas se falar dessas coisas numa rede social, só vai afastar as pessoas legais. Vai ficar parecendo que você é fútil, interesseira, mané. Sei que você não é, mas se você fala das suas fantasias, e a pessoa só lê aquilo, não sabe que na verdade você não se importa com aparência de modelo, que o que importa mesmo é o cara ter caráter, ser franco, honesto, inteligente, culto, carinhoso – o que um desconhecido vai pensar de você se em vez de falar disso, você posta a foto do Thor e fica falando o quanto ele é incrível?

Eu não estou procurando ninguém, e tenho todas as críticas ao Facebook. Uso muito pouco, não acompanho as postagens dos outros, entro só pra postar ou responder mensagens. Mas falo dos assuntos que eu quero expor (não todos, ainda não tive coragem de falar de aborto e correr o risco de chatear meu pai), sei que tudo que eu falo vai compondo uma imagem, no mínimo ajuda a me deixar mais próxima de pessoas com quem tenho sintonia de valores e essas conexões podem ser úteis para projetos, ou no mínimo vão me ajudar quando eu encontrar a pessoa ao vivo, ela já saberá um pouco de quem eu sou e se temos valores em comuns, se sentirá mais à vontade comigo.

Você tem que se expor. Sei que você é inteligente, então use a inteligência a seu favor, jogue a seu favor.

Lembrando sempre que o que foi publicado online está publicado pra sempre. Sei que o mais seguro é ser discreto e não falar nada, proteção total à privacidade. Mas se for pra usar a estratégia ostra, como as pessoas vão descobrir que tem uma pérola dentro da concha? Não tem jeito, você tem que se abrir, tem que se expor.

Só fale de temas polêmicos se você realmente acredita neles e está disposto a brigar por eles. Fale dos seus valores. Em geral evite brincadeiras que não possam ser entendidas por todos, se for piada interna fale só com o seu amigo inbox. Não significa que você não pode falar algo zoeira, claro que pode, desde que não haja risco de ser mal interpretado, nunca esqueça que é internet, não é conversa no boteco. Peloamordedeus, nunca faça um comentário machista, racista, xenófobo, ou algum tema que possa te trazer problemas, vocês sabem como isso pode destruir a vida das pessoas.

Sempre que for pra falar de algo que tenha algum risco, leia de novo e pense se um inimigo poderia usar isso contra você.

Por exemplo, meu Facebook tem meu pai, meus primos. Por causa do meu pai não falo de aborto ou de liberdade sexual. Mas no meu blog eu falo dessas coisas. E penso na pior hipótese: se alguém que quisesse me prejudicar mandasse esses textos pro meu pai, como seria? Ou tem algo do que escrevi que poderia prejudicar minha imagem profissional (caso eu ainda trabalhasse 🙂 )? E as respostas eram que eu me sentia pronta pra conversar com meu pai, se isso acontecesse, e que no meu ambiente de trabalho não seria motivo de saia-justa alguém saber ou falar que sou a favor do aborto ou que eu vivi meu período de putaria depois dos 20 anos. Mas se eu trabalhasse num local conservador ou religioso, essas declarações me trariam problemas, talvez demissão.

A exposição pública tem seus riscos, mas também seus prêmios. Sou a favor de falarmos de temas não-baunilha, acho fundamental pra um mundo mais humano, mas isso tem que ser balanceado com os riscos de realmente te prejudicar. Acho que pra maioria das pessoas, ser a favor do aborto não impediria de conseguir um emprego. Mas se meus principais clientes fossem instituições da igreja católica seria diferente.

– Além do Facebook, procure outras redes sociais dos temas que te interessam e participe, mostre-se, mostre sua inteligência, seu raciocínio, sua cultural, sua ponderação, análise, seus trabalhos, suas habilidades. Mostre-se. Dê a chance de alguém se sentir atraído pela sua mente e, se você está solteiro, disponível, e tem uma aparência agradável, por que não?

Além de você se mostrar, você vai olhar os perfis as outras pessoas e papear com os solteiros que lhe pareçam interessantes. Faça perguntas, converse, se a conversa evoluir veja como poderia encontrar a pessoa ao vivo.

 

Parte 4 – Apps e serviços pra conhecer gente

Se na sua rede não aparecer nada ou, além da pescaria pelas redes sociais, você também pode fazer uso dos serviços como OkCupid, Tinder, meros chats e outros. Não tenho conhecimento sobre os sites de namoro atuais, só sei que milhões de pessoas se conhecem assim, você devia tentar também, pesquise o assunto e experimente. Mais uma vez, use a tecnologia a seu favor, use sua inteligência e perspicácia, pela troca de mensagens dá pra ter uma boa ideia se vai valer a pena conhecer a pessoa ou não.

Eu sou da época dos chats do Uol, conheci muita gente assim. Nunca me arrependi dos caras que conheci ao vivo. Não eram o amor da minha vida, mas foi diversão momentânea, ou rendeu papos, ou experiências, mas nunca foi caso de decepção ou se sentir enganada ou numa cilada. Conversando antes você consegue ter uma boa noção de como é a pessoa e se vocês terão algo em comum ou alguma sintonia.

 

IMPORTANTE: o tempo inteiro, cuide da Parte 2, que é a história de auto-conhecimento, segurança, combater ansiedade, timidez, cuidar de si. Esse é o motivo do fracasso da maioria das relações. Se você está bem nessa parte, conhecer gente nunca será ruim. Você pode descobrir que não era bem o que você queria, ou não rolar muita sintonia, ou não rolar química. Mas nunca será a tortura que é quando a pessoa se sente ansiosa, insegura sobre si, sobre sua aparência. Nesses casos, quando não dá certo isso tem um peso enorme, em vez de ser visto apenas como um “tentei mas não rolou”.

 

Parte 5 – Se você quer conhecer gente, ande como se quisesse conhecer gente e fale com as pessoas

No mundo da internet é fácil puxar papo com alguém e ver se a conversa evolui. IRL exige muito mais, principalmente se você ainda está lutando contra a timidez.

Como agente ativo, sua parte é participar das conversas. Você tem que participar das conversas. Não precisa dominar o grupo, não é pra fazer de conta que é quem você não é, brigar com os extrovertidos pra ser o centro de atenções. Mas participe. Faça alguma pergunta ou comentário que demonstra interesse, gentileza, inteligência ou humor. Analise as pessoas presentes no ambiente, identifique quem pode ser interessante, está disponível, veja se consegue chamar a atenção dessa pessoa, engrenar uma conversa com essa pessoa.

Olha como esse pedaço é importante “alguém que pareça disponível”. Se a pessoa está com o namorado, é claro que você não vai tentar algo com ela. Mas se ela está com amigos, e parecem bem entretidos e felizes, também exige um grau a mais de coragem pra irromper nesse grupo. Se ela está sozinha, mas com cara de gente chata, também é uma barreira a mais.

Se você quer conhecer gente, você precisa fazer cara de quem está disponível pra conhecer gente, facilite a vida de quem quer se aproximar de você. Se você estiver sempre acompanhado e com jeito de quem não precisa de nada é mais difícil, se você parece chato é mais difícil. No mínimo tenha momentos pra estar sozinho em algum lugar, com cara de gente legal, e você aumenta a chance de alguém ir lá puxar conversa com você. Não precisa ficar sozinho, pode ir com amigos, mas tem que prestar atenção no ambiente e reparar se tem alguém te olhando que te interesse também. Se for o caso, encare e sorria. O sorriso foi retribuído? Vai lá falar com a pessoa.

 

Parte 6 – Participe de grupos e socialize com esses grupos

Eu sempre conto que dois dos meus melhores amigos conheci assim, num passeio passarinheiro. A gente foi fotografar juntos e descobrimos que nossos santos batiam, que a gente se sentia bem com nossos silêncios, que tínhamos valores parecidos, que achávamos graças de coisas parecidas. Uma das minhas amigas mais queridas é de internet, nunca a vi ao vivo mas a gente conversa de coração, daquele jeito que você sabe que o outro se importa e está torcendo pela sua felicidade. Tenho outra amiga bem querida do mundo dos passarinhos que encontro às vezes, de dormir na casa dela, dela cozinhar pra gente, da gente conversar sobre assuntos íntimos.

E além dos amigos, tenho vários conhecidos de que gosto bastante. E se estivesse precisando conhecer mais gente, tenho um monte de oportunidades de sair pra passear com mais gente, é só entrar no Facebook e combinar um passeio.

No fim do ano passado conheci outra pessoa bem legal, no meio de uma trilha. A gente se viu de longe e nos reconhecemos como passarinheiros, passeamos juntos, papeamos, depois descobrimos que somos parças do Clube dos Chatos e papeamos até hoje por WhatsApp.

Nos grupos de interesse há muitas possibilidades de socialização.

 

Parte 7 – Eu acredito em energia e magia

Eu acredito em energia e magia, e ninguém é obrigado a acreditar. Mas acredito de verdade que há vibrações e sintonia, percebo pessoas que emanam coisas boas, com quem a gente se identifica e gosta de ficar junto, e também tem pessoas que olho com suspeita, de quem me afasto, que considero perigosas. Acho que há lugares com energia ruim, de eu ir e me sentir drenada, acabada, só quero chegar em casa, tomar um banho e dormir.

Fico reparando em coincidências e dando um sentido pra elas.

Não tenho religião e não tenho certeza se Deus existe. Mas acredito na Máfia do Invisível. Acredito que há forças invisíveis que agem pelo bem e pelo mal, em conjunto com as pessoas. Às vezes me sinto ajudando as forças do bem. Espero nunca ter ajudado o outro lado.

Estou falando disso porque acredito de verdade que quanto melhor você estiver por dentro, mais fortalecido, em paz com você, mais fácil fica pra perceber os outros, enxergar os outros, sentir a energia dos outros, ser ajudado por forças invisíveis, e se conectar com as pessoas certas.

 

Acredito de verdade que não é tão difícil assim conhecer pessoas legais. Olha como faz sentido:

1 – Você passa a acreditar de coração que sua vida será melhor na companhia de pessoas legais, seja amigos ou um amor;

2 – O tempo todo você está cuidando de você, pra ser cada vez mais uma pessoa inteira e com uma aparência atraente.

3 – Você age a seu favor, se expondo e buscando conhecer as pessoas, tanto pela internet quanto ao vivo.

Como é que você não vai conhecer gente legal?

 

Aja.

A mágica de verdade só acontece na companhia das pessoas que fazem nosso coração bater diferente.