Como a Operação Lava Jato e o impeachment podem transformar o Brasil numa ditadura?

Pelo o que entendi, a principal crítica de quem é contra o impeachment é que as investigações de corrupção são uma ameaça à democracia e que seguir por esse caminho trará a ditadura de volta. Que o pessoal que está com medo de ser preso por corrupção propague essas ideias, eu entendo. O que não entendo é por que pessoas de bem acreditam nisso. Pare e pense:

– a ditadura é um esquema em que as pessoas são censuradas, podem ser presas, torturadas e assassinadas por terem opiniões contrárias ao governo.

–  qual a chance de ter algum grupo no Brasil, seja polícia, exército, políticos, organizações, realmente disposto a encampar algo desse tipo no país? Com o atual poder da imprensa e das redes sociais e das manifestações públicas? Quem seria o louco de fazer qualquer movimento nessa direção pra ser destruído pela opinião pública? Um juiz provavelmente teve a carreira destruída pela divulgação de uma escuta telefônica. Imagine o que aconteceria com a divulgação da história de alguém que foi ameaçado, ou torturado, ou assassinado porque publicou alguma coisa.

– e hoje em dia qualquer notícia tem o poder de se tornar viral. Antes da internet, redes sociais e celular ainda havia formas de controlar. Hoje não tem mais. A única forma de tentar controlar é com censura na internet, multa e prisão pras pessoas que publicam conteúdos que o governo desaprova, como a China e outros países fazem.

– pensa bem: qual a chance disso acontecer no Brasil? O que vocês acham que aconteceria se dissessem que uma pessoa foi multada ou presa por publicar um texto criticando o governo?

A internet existe, as redes sociais existem, o WhatsApp existe.  Como a ditadura poderia voltar? Compare com outros países em que realmente há ditadura:

– Coréia do Norte: todos os sites estão sob controle do governo. 4% da população tem acesso à internet

– Burma: o governo filtra os e-mails e bloqueia acesso a sites que denunciam violação de direitos humanos ou criticam o governo

– Cuba: internet só pode ser acessada em pontos determinados pelo governo. A atividade online é monitorada por meio de bloqueio de IP, com filtro de algumas palavras-chave e checagem do histórico de navegação. Só pessoas pro-governo podem subir conteúdo

– Arábia Saudita: cerca de 400 mil sites foram bloqueados, incluindo os que discutem questões políticas, sociais, tópicos religiosos incompatíveis com o Islamismo e as crenças da monarquia.

– Iran: os blogueiros têm que se registrar. Os que expressam opiniões contrárias aos governantes podem ser presos.

– China: o governo filtra pesquisas, bloqueia sites, apaga conteúdos inconvenientes, redireciona buscas para itens favoráveis ao partido comunista.

http://www.usatoday.com/story/news/world/2014/02/05/top-ten-internet-censors/5222385/

Estou tentando encontrar informações, mas até agora não encontrei ninguém que explicasse como poderíamos chegar nesse ponto. Pra nos tornarmos um país desse tipo, seria preciso um financiamento enorme pra bancar uma guerra civil, além de algum grupo forte o suficiente para aguentar a pressão da opinião pública nacional e internacional, e das manifestações que levam milhões de pessoas às ruas.

Se houvesse qualquer indício disso, não haveria coisas como aquelas reportagens-denúncia mostrando a articulação desses grupos para transformar o Brasil numa ditadura como a Coréia do Norte ou a China? Mas nunca li nada a respeito. Provavelmente porque isso não existe, e a tal história de “o impeachment e as investigações sobre corrupção vão trazer a ditadura de volta” não passa de estratégia suja para tentar fazer as pessoas de bem se voltarem contra o combate à corrupção.

 

==== Desdobramentos deste post no Facebook

Um dos meus amigos: “Meu medo é sim uma ditadura, mas de esquerda, como em Cuba, tentativa na Venezuela… Ela viria dos vermelhinhos que nunca negaram sua intenção e amor ao regime.”

Minha resposta: [nome do meu amigo] vou te pedir licença pra fazer um comentário, e só faço isso porque te considero um cara legal, que está sempre acompanhando, comentando, apoiando minhas lutas.

Peço pra não levar pro lado pessoal, de jeito nenhum, é só para poder divulgar uma ideia que também acho importante, e vou aproveitar seu comentário pra dar o gancho.

Sei que há toneladas de motivos pra ter raiva do PT como está hoje. Mas quando a gente segue por esse caminho, diminuímos nossa força. Quando falamos de PT, é fácil a discussão se perder em questões de amor e fidelidade a partidos, e bem ou mal o PT tem um longo histórico de lutas pelos mais pobres.

A gente deve sim panfletar e pedir justiça. Mas se a gente cai na armadilha de polarizar, de colocar como uma luta de partidos, quando sabemos que a corrupção não é exclusividade de um partido só, perdemos a força de muita gente que quer apoiar a justiça, mas se sente bastante incomodada em ver tanta gente dizendo que o PT é a fonte de todos os males do Brasil.

Se a gente foca o discurso no PT, se falamos coisas como “os vermelhinhos”, nós afastamos as pessoas que respeitam o histórico de lutas do PT, os membros do partido que são pessoas honestas de verdade e que há décadas lutam pra diminuir as desigualdades sociais, e as pessoas que podem nem se sentir tão ligadas a um partido, mas acreditam que é errado entrar numa dicotomia, numa polarização que torna os discursos tapados.

A gente vai encampar essa luta. Agora que começou não vamos mais cair no “o Brasil não tem jeito”, “fulano rouba mas faz”. Não cairemos mais nisso. Mas também temos que lidar com elegância e sabedoria com os conflitos, pra não deixar essa luta ficar diluída em questões que causam dispersão sobre os reais problemas e enfraquecem o combate à corrupção.

A gente deve falar de combate à corrupção, não importa qual partido. Isso une as pessoas.  A gente deve falar das estratégias que marketeiros do mal estão tentando usar pra afastar as pessoas do engajamento contra a corrupção. Mas se a gente cai na armadilha de falar PT ou não-PT, isso só nos dispersa, causa ruído.

É só mais uma das minhas opiniões… Claro que todo mundo pode falar o que quiser, mas o que tenho observado é que a polarização, ou demonização do PT, faz com que várias pessoas não consigam aderir às campanhas contra a corrupção, ou mesmo acharem que elas são erradas.

Obrigada pela compreensão, abraço!

Claudia

 

Outro comentário sobre o post: “Claudia, acho que o debate deve se dar neste nível. Democrático e civilizado. Opiniões diferentes não fazem de ninguém nosso inimigo. Quanto ao texto, concordo que um eventual (e provável) impeachment não leva necessariamente a uma ditadura. Também não creio que haja elementos para uma eventual ditadura. Só não acho que haja de fato justificativas suficientes para o afastamento de Dilma. Os fatos alegados no pedido de impeachment são fracos e a prática das tais “pedaladas fiscais” foi comum no governo dos antecessores da Dilma, sem qualquer problema. Há erro, mas não é um fato grave que justifique seu afastamento. Até porque as pedaladas praticadas pelo atual governo não tiveram a finalidade de desvio de dinheiro para fins ilícitos ou proveito próprio. Pelo menos não há provas disto. Com relação à corrupção, que não tem relação com o pedido de impeachment, sou favorável às investigações de forma geral e sem seletividade. Há motivos de sobra para crer que, apesar dos méritos iniciais da Lava Jato em escancarar um esquema de desvio de dinheiro público que vinha de longa data, as investigações descambaram para a parcialidade e a seletividade. Que se investigue todos os envolvidos e que sofreram delação neste processo.”

Minha resposta: “Oi [nome da pessoa que fez o comentário acima], é bom a gente poder conversar de forma civilizada, não? Os gritos de coxinha ou mortadela são mesmo um desserviço pra qualquer grupo. Obrigada por se dispor a conversar sobre o assunto.

Será que os motivos alegados pro impeachment são fracos? Confesso que sinceramente eu não sei julgar com propriedade. Posso manifestar minha opinião (como tenho feito nos outros textos) e meu sentimento. Meu sentimento é que a economia do Brasil se afunda cada vez mais, e que isso não vai mudar enquanto Dilma estiver como presidente. Uma questão de perda de confiança, fragmentação das bases aliadas, desgaste da imagem pública.

Um tempo atrás ela falou “não há corrupção no meu governo”. Pra mim, só isso já seria motivo de impeachment :), não por ser ela, mas qualquer presidente que tentasse sustentar essa afirmação no atual contexto social de denúncias e manifestações populares. Sem querer ofender os defensores da presidente ou do PT, mas não tem justificava uma frase dessas, qualquer alternativa é muito ruim. Ou ela é totalmente ingênua, ou é louca, ou acha que pode continuar mentindo na cara dura pra população.

Os crimes de corrupção são generalizados e, no Brasil, tão antigos quanto o próprio país. Acho que se a economia estivesse indo bem, seria difícil emplacar um impeachment, algo tão sério e extremo, com base em crimes que sabemos que tantos praticam e já praticaram.

Eu entendo o que você fala. Apesar de não ter conhecimento técnico suficiente pra julgar se o impeachment é válido ou não, com base apenas no que leio e no meu raciocínio eu também concordaria com você que os motivos alegados pro impeachment são fracos – se analisados isoladamente.

Mas os fatos estão sempre interconectados, não? Imagino que se a economia estivesse bem, o país prosperando, a ideia de impeachment por esses motivos seria simplesmente risível. Mas na situação que estamos não é.

Isso é injusto? Não acho que seja injusto. Acho que injusto é continuar ver o país afundando, Dilma como um mastro quebrado puxando todo mundo pra baixo.

Não tenho certeza se a pessoa que substituir Dilma terá capacidade de melhorar a situação rapidamente. Mas tudo que tenho lido, ouvido, me traz a sensação que não há futuro com ela. A maioria dos países está se recuperando da crise mundial. Não o Brasil. A gente continua encolhendo, demitindo, parando as engrenagens. De forma prática, me parece que o principal crime de Dilma foi a incompetência em direcionar decisões que pudessem mudar esse cenário. E incompetência é motivo pra demissão de qualquer pessoa, não? Mas não é um crime tão facilmente configurado pra uma figura pública que não tem um chefe pra demiti-lo… ou melhor, podemos dizer que o chefe do presidente do país é o povo, e agora uma grande parcela da população (69%) mostrou o cartão vermelho. Os advogados tentam caracterizar como podem os motivos para pedir a saída da presidente, uma esperança pro país parar de afundar.

Al Capone assassinou inúmeras pessoas, faturou algo que hoje seria mais de 1 bilhão de dólares com negócios ilícitos. Mas foi preso por sonegação de impostos, que foi o crime que os federais conseguiram enquadrá-lo e provar.

Acho que as pessoas que se sentem tristes por pensar que os motivos pro impeachment são fracos, fruto de um contexto, de pressão pública, de manipulação da mídia, têm seus motivos pra se sentirem assim. Mas não consigo concordar com as afirmações sobre ser golpe, ou dizer que trará a ditadura. Legalmente é um processo em andamento, com direito a advogados de defesa e de condenação. Num golpe um grupo simplesmente toma o poder e quem não concorda vai pra cadeia (só por ser contra) ou é assassinado.

As pessoas que gostariam que ela não saísse podem falar que o problema é ser um processo marcado por forte pressão da opinião pública, manipulada por uma mídia que tem feito intensa campanha por esse resultado. Isso é verdade. Mas também é verdade que essa pressão não existiria se o país estivesse bem.

O Brasil piora a cada dia, as demissões e problemas aumentam a cada dia, a vida de milhões de pessoas piora a cada dia. E nem o próprio PT acredita que Dilma conseguirá mudar esse cenário. A última cartada era Lula. Mas permitir que Lula se torne o presidente na prática seria aceitar que não há como combater a corrupção. E esse é um sentimento que eu nunca mais quero perder: a crença de que todos podem ser julgados pelos seus crimes, mesmo alguém como Lula.

O PT está no foco das investigações porque ele é o partido do momento, e porque teve todo o desenrolar absurdo de ver um grupo que conseguiu destruir uma empresa como a Petrobras. Mas eu não tenho nenhum receio de que as investigações parem neles. Tem muita gente envolvida, muita gente disposta a liderar ações para que os outros corruptos dos outros partidos também sejam punidos, seja por senso de justiça, ou por vingança pelo o que aconteceu com o PT.

Se a gente, como população, como país, for capaz de apoiar o desenvolvimento dos mecanismos para investigar e punir a corrupção, ninguém precisa ficar com medo de que foi só discriminação com o PT. Vai chover merda pra todo lado, com certeza. Cada enxadada uma minhoca. Pra qualquer lugar que se olhe, em qualquer patamar.

E teremos que ser sábios pra conseguir ir tocando esse processo sem cair nos erros da Itália, que fez a revolução do Mãos Limpas, e depois viu a corrupção se reinstalar, de forma mais inteligente e difícil de ser detectada e julgada. http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/03/1750424-inspiracao-da-lava-jato-gerou-corrupcao-20-diz-pesquisador.shtml

Todos os brasileiros, sejam pró-impeachment ou contra impeachment, honestos ou corruptos, todos querem o mesmo: ver o Brasil sair do buraco, a retomada da economia.

Não sei se alguém ainda acredita que isso é possível com Dilma. Quem é contra sente-se cético faz tempo. Com a tentativa de empoderar Lula, o próprio PT reconhece que com Dilma realmente não é possível.

Eu quero que o Brasil pare de afundar. Não consegui achar nenhum argumento que comprove que o impeachment vai trazer a ditadura de volta, ou que seja ilegal. Com Dilma na presidência não vejo futuro pro país. Eu torço pelo impeachment.

Obrigada, abraços!

Claudia”