Carnaval em Campos do Jordão – 2015

É verdade que no ano passado passei o carnaval em São Luiz do Paraitinga. Mas fora alguns minutos no bloco do Juca Teles, era como se estivéssemos em Campos do Jordão, como fazemos todos os anos. Passarinhar. Computador, jogos. Só.

Neste ano voltamos ao tradicional carnaval em Campos do Jordão. Não soubemos nada dos desfiles do Rio. Jogamos muito Minecraft, um pouco de Ludo. Passarinhei um pouco, só um pouco, nem o suficiente pra tentar combinar algo com o Rodrigo. No dia que saí mais cedo foi às 9h10, e sempre voltava lá pelas 11h30. Num dos dias o Cris saiu também, era mais tarde, quase meio-dia, eu achava que não ia dar nada de fotos, por isso a câmera nem estava pra fora da mochila quando apareceu o tucano-de-bico-verde apanhando dos suiriris, e eu ainda não tinha descoberto que o Cris tinha trocado minha bateria por uma descarregada, então quando tentei fotografar aconteceu aquelas coisas de pesadelo: você clica e não acontece nada. Todo passarinheiro já sonhou com algo semelhante. Mas a bateria carregada estava na mochila, troquei, não consegui mais pegar o tucano numa altura razoável, mas um tempo depois, ao lado da hípica, aconteceu o inesperado: duas tesourinhas-da-mata. Um adulto e um jovenzão. Lindas. No Balneário dos Pintassilgos (o nome que eu havia dado pro pedacinho em que ficava água empoçada, e as aves iam se banhar).

Além desses lados da hípica, descobri que o Lago do Fojo tem uma área de brejo linda. Uma família de sanhaçus-frade, com os jovens bobões de sempre que dão muito mais sopa do que os adultos, mas ainda não têm aquele azul lindo.

Desta vez, sem incursões em áreas de loteamento.