Bertioga – SP, ago/15

Praia de Guaratuba, em Bertioga – SP, agosto de 2015. Um restinho de fim de tarde, um pouco da manhã seguinte, mas bem pouco. Não estávamos no modo fotografia, e sim passeio. (Esta galeria não é representativa da diversidade da Mata Atlântica). Rodamos bastante de carro, contemplando aquele cenário incrível da Rio-Santos, com direito a diálogos como este

Engraçado que esse Chapéu de Sol tem umas três resenhas só, todas em inglês, com frases do tipo “talvez você não saiba, mas o Brasil é conhecido por suas ótimas pizzas. Se você gosta de massa fina e coberturas diferentes — inclusive a exótica pizza de atum, este é o lugar pra você”.

Deve ser muito legal ser estrangeiro, vir passear por aqui, ver esse cenário, descobrir que tem bons restaurantes. Caramba, isso aqui é muito bonito.

É bonito mesmo. Não é por nada que os gringo pira.

É, os gringo pira. Ainda mais gringo birdwatcher, porque não é só o cenário, é saber que no meio dessas montanhas e árvores tem um monte de maravilhas.

Pois é… eles têm aqueles lugares no Colorado, é bonito, tal, a gente passou por algumas regiões que os guias diziam ser algumas dos mais bem preservadas do país. Mas sei lá, as florestas…. você não ficava com aquela sensação que era tudo reflorestamento?

Ri muito e passei o resto da viagem rindo um pouco quando lembrava da ideia de que as florestas do Colorado eram reflorestamento. A paisagem de lá é linda, mas é realmente esquisito ver aquelas florestas enormes só com um tipo de árvore. Contemplar a Mata Atlântica, ainda mais comparando com Europa ou Estados Unidos, é algo que nem dá pra explicar — tudo parece maravilhoso, muito rico, repleto de tesouros.

Os gringos pira. Com razão. Daqui uns dias vou tentar montar uma galeria com uma seleção de fotos diversas da Mata Atlântica.