A vingança dos japoneses: agora todo mundo fotografa

A maioria das pessoas com mais de 30 anos reconhece a imagem estereotipada de um japonês, com aquelas roupas sem graça de turista japonês (calça caqui bag, camisa de manga curta xadrez), óculos, câmera pendurada no pescoço e fotografando tudo da viagem.

Por que os japoneses sempre foram tarados por uma câmera? Acho que principalmente por consumismo. Câmeras eram apenas mais um dos itens produzidos a rodo com preços razoáveis, natural um japonês ter câmera.

Se havia a consciência sobre o valor do que está sendo registrado? Difícil dizer, se tomar por base a minha família. Meu vô adorava a câmera, e era famoso por mandar todo mundo posar pra foto, ficávamos de estátua durante quase um minuto enquanto ele acertava regulagens, e volta e meia ainda batia fotos com a tampinha na câmera ou sem rolo de filme. Ele sabia que era legal ter registros da família, mas isso qualquer pessoa de qualquer nacionalidade podia concordar. Inexplicáveis são as tantas fotos de nada que revi outro dia. De monte de tijolos, carros, rua, cozinha, árvores. Nada artístico. A maioria bem desfocada ou tremida. Qual era o objetivo com aquelas fotos? Talvez nada.

Um japonês com uma câmera no pescoço. Quantas chacotas. Passou pouco tempo, e agora o estranho é alguém que não ande com uma camerazinha, ou que não pare de vez em quando pra fotografar com o celular.

Imagino o japonês estereotipado em algum ponto alto, do topo de um edifício, ou contemplando um pedaço do Sena, e adoraria vê-lo ajeitar o óculos no nariz e fazer uma banana para o público, com gestos lentos e discretos, mas cheios de razão.