A vida secreta do Serengeti é um tédio

Já me falaram que tenho a língua preta. Ou que vou ganhar alguns milhares de carvõezinhos virtuais do Papai Noel, equivalentes a todas as vezes que discuti com alguém ou falei que algo estava errado, mal feito, tendencioso etc.

Talvez eles estejam só escondendo o jogo. Me dizem que os fotógrafos pros não publicam na internet as melhores fotos. Guardam pra vender ou pra colocar no livro. Daí não aumentam a fama online?

Ou quando vejo fotos de uma expedição paga e sempre fico pensando “caramba… eles estão escondendo fotos, ou foi só isso mesmo que ele conseguiu?”

Que eu sou uma fresca do caramba vocês já sabem. Mas é preciso dizer que neste caso sou uma fresca com conhecimento de causa. Já fui 6 vezes pra África do Sul, principalmente Kruger, e duas vezes Kgalagadi. Num dos anos fomos pro Etosha na Namíbia. A África do Sul é um dos destinos menos cotados pra fotografia de natureza, quero dizer, Serengeti, Tanzania são destinos com muito mais apelo.  Já a África do Sul, especialmente o Kruger, é tido como um parque com turistas demais e bichos de menos.

Mas quem ficou curioso, dá uma olhada neste link e me diz se é ou não é decepcionante pensar que este é o post na National Geographic, de divulgação de um projeto que levou 3 anos, usou 225 câmeras traps, registrou 1,5 milhão de sequências, contou com a ajuda de 32 mil voluntários para identificarem os animais e ranquearem as cenas, e rendeu essa merreca:

http://proof.nationalgeographic.com/2014/11/26/hidden-cameras-reveal-the-secret-life-of-the-serengeti/

“These covert observations have opened up a world of information about community dynamics.“We’ve seen a lot of interactions between species that I doubt anyone has ever observed before, like bat-eared foxes chasing off an aardwolf, and topi saying hello to warthog.” Some of Packer’s favorites? “Mating porcupines, oxpeckers roosting in the crotch of a giraffe, a small herd of eland posed like a bouquet, spectacular views of zebra and wildebeest herds running directly towards the camera, and any LEOPARD!” “

Acredito no valor científico das informações e da mostra da interação entre os bichos. Mas que o vídeo e as fotos foram uma decepção, isso foi… esperava mais de 1,5 milhão de sequências.

—-

Vou mostrar como são as coisas no Arkansas, quero dizer, na África do Sul. Para turistas, só de dentro do carro, nas estradas e horários permitidos para o público, e com equipamento fotográfico de amador dedicado: