A Perdida Arte do Diálogo e da Amizade – parte 2

É simples assim: diálogo é a interação entre duas pessoas. Se você não tem interesse no que o outro tem a dizer, você não devia estar conversando com ele. É sério. Seja uma pessoa honrada, o ouvido das pessoas não é penico.

Entre pessoas íntimas – casais, bons amigos, é permitido haver um momento de descarrego pra passar uns 10, 15 minutos falando, falando, reclamando, xingando. Mas só porque vocês têm laços fortes, e porque depois você vai, com sinceridade, perguntar delas e dar a chance delas falarem também.

Desabafar com colegas ou desconhecidos – e simplesmente fazer isso – descarregar as merdas e minhocas que passam pela cabeça e pelo coração, e só descarregar, sem se importar com o outro, é imoral. Você devia ligar pro CVV, ou pagar mais terapia. Ou talvez, se reconciliar e abusar da relação com sua mãe.

Se só você fala, mude de assunto, vá pra algum campo em que o outro ou os outros também possam se manifestar. Ou você pode se estender em algum assunto que você fala mais, desde que haja interesse genuíno do outro no que você está falando, se ele estiver fazendo perguntas e falando de si também.

E pelo outro lado: não seja mané. Uma pessoa pode ser brilhante, mas se só ela fala, se em nenhum momento ela te olha nos olhos e pergunta o que você pensa, ela não vale a pena. Não desperdice seu tempo com ela, por mais genial que ela seja. Gênios desumanos não valem o preço.

Outro conselho: cultive amigos de verdade, busque amigos de verdade. Não desperdice seu tempo com pessoas que não são seus amigos, antes só do que mal acompanhado. Procure a companhia de pessoas com quem você se sente bem, em que você confia, que você sabe que se importam com você, que te apoiam, que lhe ajudam em momentos difíceis, em quem você sente confiança pra falar de coisas pessoais e importantes, e que também lhe confidenciam coisas importantes da vida delas. Nunca aceite menos do que isso.

Falsos amigos ou amigos de meia tigela ocupam tempo, espaço, recursos financeiros e emocionais que deviam estar sendo investidos em você mesmo, em você melhorar como pessoa, em consertar o que tem de defeituoso em você (em geral minhocas da cabeça) que impedem que você encontre amigos de verdade.

Todos podem ter amigos de verdade. Seja honesto, seja verdadeiro, aja com generosidade, com o coração. Ao mesmo tempo, seja inteligente, controle ansiedade, não assuste os outros com sua carência ou devaneios. Como qualquer dança, como qualquer namoro. Pequenos passos lentos em que você está sempre checando se o outro lhe acompanha, se vocês estão olhando pro mesmo lado. Se vocês conseguem tempo pra se ver, se falar ou se escrever. Cheque sempre se a balança está equilibrada: se você sentir que você dá muito mais do que recebe, tire o pé do acelerador. Provavelmente você descobriu o limite da amizade de vocês. Pare de desperdiçar tempo (em tarefas, encontros, e-mails ou pensamentos) com quem não te merece, e abra espaço para conhecer novas pessoas.