A mesa de jantar do Wait but Why

http://waitbutwhy.com/table/wish-you-had-known-at-22?doing_wp_cron=1417475462.0030610561370849609375

Essa citação do Francis Bacon me rendeu muito:

“A compreensão humana não é um exame desinteressado, mas recebe infusões da vontade e dos afetos (…) Pois um homem acredita mais facilmente no que gostaria que fosse verdade. (…)

Francis Bacon, Novun Organon (1620)

Eu li em algum lugar, queria transcrever, e pensei “com certeza alguém já transcreveu”, digitei um pedaço no Google e caí num site que me indicou o Barking up the Wrong Tree, o americanoide mas bom, e o Wait but Why, que tem alguns posts bem legais.

E aqui, sob o signo do Bacon, confirmo mais uma vez que o homem acredita mais facilmente naquilo que gostaria que fosse verdade. Ontem usei posts do Barking pra legitimar coisas que penso sobre discussões e interações entre pessoas. Hoje vou usar a mesa de jantar do Wait But Why pra dizer que me sinto menos estranha por reclamar do nível médio de conversação dos encontros.

O Wait But Why decidiu criar um evento todo domingo, com um tema, e as pessoas vão respondendo na hora. A primeira rodada foi algo como “o que você sabe hoje, e gostaria de já saber quando tinha 22 anos?”.

Uma pergunta legal. Mas imagino poucas pessoas capazes de responder isso de coração. E sei que não sou especialmente azarada, porque infelizmente tenho que ouvir conversas de restaurante da mesa ao lado, e sei que a maioria das pessoas só fala de coisas inócuas e pasteurizadas, repetidas como um autônomo.

Ou as ideias do Alain de Botton. De um mundo em que suas primeiras perguntas não são “qual sua profissão?” e sim “do que você tem medo?” “quem você não consegue perdoar?”.

Não tenho inglês pra participar da mesa de jantar do Wait but Why, mas recebam meu brinde virtual.

Por menos gente de papelão, por uma vida menos ordinária.