A loucura ronda a família

Uma parente próxima por parte do meu pai se suicidou quando tinha 20 e poucos, essa idade terrível em que tantas mulheres se matam, ou desejam sinceramente se matar. Um parente da minha mãe se jogou na linha do trem. Outro parente já foi hipnotizado em um ônibus, chegou em casa dizendo pra mãe que precisava ir até o banco, dar dinheiro pra fulano. Uma outra parente tinha um problema cristão de culpa por qualquer coisa que cheire a ócio ou lazer. Um outro tinha Alzheimer, outro tem TDAH, outra teve um aneurisma e mudou de personalidade.

Eu me apaixonei pelas aves, praticamente só faço passeios e viagens pra ver aves, penso em aves o tempo todo. Quando viajo pra cidades, vou pros parques urbanos fotografar aves, pros museus ver as aves nas pinturas, cerâmicas e esculturas (o famoso birdwatching de museu, não sei de mais ninguém que faça isso), e pras livrarias atrás de livros sobre aves. Ignoro o infame comentário familiar de que quando eu era criança, meu brinquedo favorito era um pintinho de plástico, de dar corda (o da minha irmã era um ganso), e que eu não tinha medo de pegar em minhocas (é um comentário só, as duas informações sempre são lembradas juntas, porque minha família se diverte em falar de pintinho e minhoca ao mesmo tempo).

Duvido que minha família seja mais maluca do que a média. Acho que quem não tem uma lista como essa está mal informado.