A democracia é uma merda

Eta tristeza da porra em ver o resultado do plebiscito do Reino Unido. Quase tão triste quanto resultado de eleição no Brasil.

A humanidade deu certo? Não deu certo? A gente vai continuar se explodindo, sequestrando crianças, estupros coletivos, gente com cérebro mas sem coração dizendo que feminismo é frescura, corrupção descarada e tanto descaso pra tudo, pra tudo.

Queria mais otimismo e alegria, minha gente, mas está difícil. Hoje tudo que consigo fazer é ver vídeos de flash mob, especialmente nos EUA, lembrar do clima da Califórnia… e sentar e chorar… imaginando um mundo em que a humanidade deu certo, em que todo mundo vive bem, em que as riquezas são compartilhadas, em que não há xenofobia, nem racismo, nem machismo, nem corrupção, nenhum discurso de ódio. Só gente capaz de dançar na praça, com uma multidão em volta pra bater palma e aplaudir.

http://www.bbc.com/portuguese/internacional-36617121

“O resultado do plebiscito a favor da saída do Reino Unido da União Europeia (UE) revelou profundas divisões entre os britânicos.

Revelou, por exemplo, duas ‘Inglaterras’: Londres votou pela permanência, enquanto a maioria das outras cidades votou pela saída. A diferença entre as gerações também ficou clara. No grupo entre 18 e 24 anos, 64% disseram ter votado pela permanência, escolha de apenas 33% dos britânicos entre 50 e 64 anos.”

“A geração mais jovem perdeu o direito de viver e trabalhar em 27 países. Nós nunca conheceremos a extensão da perda de oportunidades, amizades, casamentos e experiências que serão negadas. A liberdade de movimento nos foi retirada pelos nossos pais, avós e tios em um golpe contra uma geração já afundada nas dívidas da geração anterior. Talvez mais importante, vivemos em uma sociedade pós-factual em que fatos se revelaram inúteis ao se confrontarem com mitos”.